Publicidade
Publicidade - Super banner
Educação
enhanced by Google
 

Ministério da Educação autoriza criação de novos cursos de Medicina em federais

Ao todo, serão abertas 1.615 vagas em diferentes câmpus de 23 instituições. Autorizações publicadas no Diário Oficial da União fazem parte de plano de expansão do curso no País

iG Brasília |

O Ministério da Educação publicou, nesta sexta, autorização para que 23 instituições federais ampliem as vagas ou criem novos cursos de Medicina em seus câmpus. A portaria está no Diário Oficial da União e faz parte dos trâmites do projeto de expansão da carreira no País.

Na terça-feira, o ministro Aloizio Mercadante anunciou detalhes do projeto que pretende criar 2.415 novas vagas em graduações de Medicina até o final do ano que vem. Segundo Mercadante, o objetivo é melhorar a distribuição dos médicos pelo País, estimulando a interiorização deles. Por isso, a maior parte das vagas novas se concentra no Norte e no Nordeste.

Greve nas federais: 51 das 59 instituições têm paralisação de professores
Resposta do CFM: Para Conselho, ampliação de vagas coloca qualidade em risco

A portaria assinada pelo secretário de Educação Superior, Amaro Lins, autoriza a criação de 1.615 novas vagas em universidades federais. O documento ressalta que as novas vagas serão abertas de acordo com “a capacidade de cada instituição, a fim de manter a qualidade no ensino”. Desse total, 355 vagas serão em cursos já existentes.

Na quarta-feira, o MEC também autorizou a criação de 800 vagas em cursos da rede privada, segundo que 280 delas ficarão no Norte e Nordeste. Mercadante garantiu que a ampliação só ocorrerá em instituições que demonstrarem capacidade de ampliação do curso e tiverem pareceres favoráveis do Conselho Nacional de Saúde e do Conselho Nacional de Educação.

Críticas

Logo após o anúncio do projeto, o Conselho Federal de Medicina (CFM) divulgou nota criticando o plano. Para a entidade, não faltam médicos no Brasil e as medidas poderão colocar em risco a qualidade da formação médica. O conselho defende que o problema não está na quantidade de médicos, mas na distribuição dos profissionais pelo território.

O conselho considera preocupante o número de escolas médicas com resultados ruins na avaliação do MEC e que o problema decorre da “abertura indiscriminada de novas vagas e novos cursos”.

CONFIRA AS INSTITUIÇÕES CONTEMPLADAS:

Públicas em cursos existentes
Universidade Federal de Alagoas (UFAL), câmpus Maceió: 20 vagas
Universidade Federal do Acre (UFAC), câmpus Rio Branco: 40 vagas
Universidade Federal do Amapá (Unifap), câmpus Macapá: 30 vagas
Universidade Federal do Amazonas (UFAM), câmpus Manaus: 48 vagas
Universidade Federal de Grande Dourados (UFGD), câmpus Dourados: 30 vagas
Universidade Federal do Maranhão (UFMA), câmpus São Luiz: 40 vagas
Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), câmpus Campo Grande: 20 vagas
Universidade Federal da Paraíba (UFPB), câmpus João Pessoa: 25 vagas
Universidade Federal do Piauí (UFPI), câmpus Teresina: 40 vagas
Universidade Federal de Roraima (UFRR), câmpus Boa Vista: 52 vagas
Universidade Federal de Sergipe (UFS), câmpus Lagarto: 10 vagas
Total: 355 vagas

Públicas em cursos novos
Universidade Federal de Alagoas (UFAL), câmpus Arapiraca: 60 vagas
Universidade Federal de Alfenas (Unifal), câmpus Alfenas: 60 vagas
Universidade Federal do Amazonas (UFAM), câmpus Coari: 80 vagas
Universidade Federal da Bahia (UFBA), câmpus Barreiras: 80 vagas
Universidade Federal da Bahia (UFBA), câmpus Itabuna: 80 vagas
Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), câmpus Passo Fundo: 40 vagas
Universidade Federal de Goiás (UFG), câmpus Jataí: 60 vagas
Universidade Federal do Maranhão (UFMA), câmpus Imperatriz: 80 vagas
Universidade Federal do Maranhão (UFMA), câmpus Pinheiro: 40 vagas
Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), câmpus Rondonópolis: 40 vagas
Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), câmpus Sinop: 60 vagas
Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), câmpus Três Lagoas: 60 vagas
Universidade Federal do Pará (UFPA), câmpus Marabá: 60 vagas
Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), câmpus Caruaru: 80 vagas
Universidade Federal do Piauí (UFPI), câmpus Parnaíba: 80 vagas
Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), câmpus Santo Antônio de Jesus: 60 vagas
Universidade Federal do Rio Grande do Norte, câmpus Caicó: 40 vagas
Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ), câmpus São João del-Rei: 80 vagas
Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), câmpus Diamantina: 60 vagas
Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), câmpus Teófilo Otoni: 60 vagas
Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), câmpus Paulo Afonso: 40 vagas
Total: 1260 vagas

Leia tudo sobre: medicinaCFMMECensino superior

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG