Contra vontade de alunos, FEA-USP terá catracas

Em plebiscito, professores e funcionários apoiam medida de segurança em unidade na qual estudante foi morto em 2011

iG São Paulo |

A Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da Universidade de São Paulo (USP) irá colocar catracas para identificar a entrada em sua unidade, no câmpus Butantã, após plebiscito realizado nesta semana. Apenas os alunos foram contrários à medida.

Leia também: USP promete dobrar iluminação da Cidade Universitária

De acordo com a FEA, 758 alunos votaram contra a catraca e 205 votaram a favor. Entre os funcionários, 38 foram contra e 43 a favor. Entre os professores, 22 foram contra e 71 a favor.

Como a eleição é paritária entre as categorias, que têm direito a um voto cada uma na determinação do resultado final, a adoção das catracas foi decidida por 2 votos a 1.

A cobrança por mais segurança na universidade aumento no ano passado, quando o aluno Felipe Ramos de Paiva, de 24 anos, foi assassinado com um tiro na cabeça no estacionamento da faculdade. 

O diretor da faculdade, professor Reinaldo Guerreiro, diz que o plebiscito foi acordado com o Centro Acadêmico para que não fosse tomada uma decisão autoritária sobre um assunto tão delicado.

“A ideia não é barrar ninguém, mas identificar. Não adianta ter câmeras se você não souber quem é a pessoa”, afirma o professor, que acredita que as catracas vão aumentar a segurança e eliminar um monte de problemas, “mas não todos”.

Uma Comissão de Segurança da FEA analisou os problemas da unidade e sugeriu a medida. “Achamos que é necessário identificar as pessoas, e para fazê-lo não tem outro jeito a não ser uma identificação automática, pelo cartão USP e cartão para visitantes”, defende Guerreiro.

    Leia tudo sobre: feauspsegurança na uspcatracas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG