FEA-USP decide nesta sexta se coloca catracas

Alunos, professores e funcionários votam em plebiscito se entrada na unidade deve ser controlada. Estudante foi assinado em 2011

Marina Morena Costa, iG São Paulo |

A Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da Universidade de São Paulo (USP) decide nesta sexta-feira se irá colocar catracas para identificar a entrada em sua unidade, no câmpus Butantã. No ano passado, o aluno Felipe Ramos de Paiva, de 24 anos, foi assassinado com um tiro na cabeça no estacionamento da faculdade. Após o crime, estudantes cobraram mais segurança na universidade.

Leia também : USP promete dobrar iluminação da Cidade Universitária
TCE suspende edital de R$ 62 milhões da USP

Desde a última segunda-feira, os cerca de 3.500 alunos, 180 professores e 140 funcionários estão votando se aceitam ou não as catracas. Cada categoria terá peso um na decisão, independente do número de votantes, e decisão deve ser anunciada nesta sexta-feira à noite.

O diretor da faculdade, professor Reinaldo Guerreiro, diz que o plebiscito foi acordado com o Centro Acadêmico para que não fosse tomada uma decisão autoritária, em um assunto tão delicado. “A ideia não é barrar ninguém, mas identificar. Não adianta ter câmeras se você não souber quem é a pessoa”, afirma o professor, que acredita que as catracas vão aumentar a segurança e eliminar um monte de problemas, “mas não todos”.

Uma Comissão de Segurança da FEA, criada dois meses antes da morte do estudante, analisou os problemas da unidade e sugeriu a medida. “Achamos que é necessário identificar as pessoas, e para fazê-lo não tem outro jeito a não ser uma identificação automática, pelo cartão USP e cartão para visitantes”, defende Guerreiro.

    Leia tudo sobre: FEAUSPsegurança na USP

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG