Justiça baiana derruba lei que obrigava alunos a rezar

Em Ilhéus, estudantes da rede municipal tinham que rezar o Pai Nosso antes do início das aulas. MP pediu a suspensão da obrigação

AE |

selo

O desembargador Clésio Rômulo Carrilho Rosa, do Tribunal de Justiça da Bahia, acolheu o pedido do Ministério Público estadual e concedeu liminar suspendendo a lei que obrigava os alunos da rede pública de Ilhéus, no litoral sul da Bahia, a rezar o Pai Nosso antes do início das aulas.

O projeto de lei, apresentado pelo vereador Alzimário Belmonte (PP), foi aprovado pela Câmara e sancionado em dezembro do ano passado pelo prefeito de Ilhéus, Newton Lima (PT). A lei foi colocada em prática no início do ano letivo, em fevereiro.

Os promotores do MP alegaram que a regra é inconstitucional, por ferir o princípio de liberdade de religião, apesar de a lei não prever fiscalização ou punições a quem a desrespeitar.

Leia também: Transexual troca ensino de religião por ética em escola gaúcha

    Leia tudo sobre: religiãoescola públicaensino religioso

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG