Governador reeleito fará diagnóstico para evitar novo resultado adverso para petista no 2º turno

A presidenciável Dilma Rousseff (PT) encarregou o governador recém-reeleito Silval Barbosa da missão de fazer um diagnóstico minucioso sobre os motivos da derrota da petista para José Serra (PSDB) nas urnas do Estado. No MT, ela recebeu 42,93% dos votos, enquanto o tucano ficou com 44,16% do total.

A solicitação foi feita pelo próprio presidente Lula, acompanhado de Dilma, durante reunião ontem com aliados vitoriosos nas eleições estaduais. O encontro serviu para que o grupo definisse uma estratégia para essa nova fase da campanha.

Silval é cotado para ser o coordenador da campanha Pró-Dilma no Estado pela força de ser governador e ter sido reeleito no primeiro turno com 51,21% dos votos.

"Vamos fazer um diagnóstico geral e identificar ponto a ponto dos problemas. O segundo turno é uma nova eleição ela deve adotar uma postura pró-ativa, mostrando programa de governo, suas ações, principalmente em Mato Grosso. É preciso que nesta hora ela transmita segurança e confiança para a população e para o eleitor", frisou.

Para assegurar a vitória de Dilma, o governador disse que vai intensificar a campanha nas cidades do interior.

Porém, o presidente regional do PT, deputado federal Carlos Abicalil, candidato à reeleição que saiu derrotado nas urnas, vai se reunir com a liderança nacional amanhã (6) em Brasília, onde será feito o planejamento das ações no segundo turno.

A ex-ministra esteve em Mato Grosso fazendo campanha e dando força ao palanque da coligação Mato Grosso em Primeiro Lugar, que tinha Silval Barbosa à reeleição, o ex-governador Blairo Maggi (PR) e Carlos Abicalil, ambos os candidatos ao Senado.

No âmbito nacional, Maggi é um dos principais nomes no setor do agronegócio. Depois de sete anos e três meses de governo, ele saiu com alto índice de aprovação e foi eleito com mais de um milhão de votos.

O republicano deverá fazer um trabalho voltado para reforçar a presença do agronegócio no apoio ao processo de eleição de Dilma.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.