Prisão de autoridades por suspeita de corrupção afugentou classe política do evento da Independência

Desde sábado na chefia da Prefeitura de Dourados (MS), o juiz Eduardo Machado Rocha, 53, virou um atrativo na cidade.

Por onde anda é aplaudido pelos moradores da cidade de 212 mil habitantes, distante 220 km de Campo Grande.

No desfile da Independência, evento que reuniria as principais autoridades municipais, só apareceram o magistrado, um deputado federal e uma vereadora. O restante do palco foi ocupado por autoridades militares.

Ao contrário de eleições anteriores, candidato algum apareceu para distribuir 'santinhos'.

Uma multidão gritava o nome do juiz e a condenação do prefeito, vice, presidente da Câmara e outras 24 pessoas, sendo nove dos 12 vereadores do município, todos presos na semana passada por envolvimento em esquema de corrupção.

A permanência do juiz na Prefeitura tem sido objeto de discussões. O Ministério Público Estadual prepara um recurso solicitando intervenção na cidade.

Se houver concordância do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ-MS), o governador André Puccinelli (PMDB) poderá indicar um interventor para o município. No entanto, Puccinelli adiantou preferir que o magistrado cumpra o restante do mandato.

Na manifestação de hoje, a populares declararam ser contrários à intervenção, mas favoráveis à realização de novas eleições no município.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.