Embraer não confirma fabricação de avião que caiu na China

Acidente deixou 43 mortos e 53 feridos na China

iG São Paulo |

AP
Foto de dezembro de 2009, divulgada pela agência estatal Xinhua, mostra modelo de avião que caiu na Província de Heilongjiang, no noroeste da China
Apesar de agências internacionais creditarem à Embraer a fabricação do avião que caiu com 96 pessoas a bordo no nordeste da China, a empresa brasileira não confirma a procedência da aeronave que pertencia à Henan Airlines, uma joint venture entre a chinesa Shenzen e o americano Mesa Air Group.

“A empresa não tem nenhuma posição oficial sobre esse acidente. Não podemos confirmar nada”, disse ao iG um assessor de imprensa da Embraer.

A aeronave passou da pista e pegou fogo durante o pouso perto do aeroporto de Lindu, em Yinchun, nordeste da China nesta terça-feira, deixando 43 mortos. De acordo com a Televisão Central da China (CCTV), 53 pessoas foram resgatadas com vida.

Segundo a agência estatal Xinhua (Nova China), o acidente ocorreu às 22h20 do horário local (11h20 em Brasília) . O avião havia decolado de Harbin, capital de Heilongjiang, antes das 21 horas locais.

Perda de clientes

A Henan Airlines opera em sua maioria com jatos regionais menores, principalmente em rotas no norte e noroeste da China. Previamente conhecida como Kunpeng Airlines, a companhia aérea foi relançada no início deste ano como Henan Airlines.

Assim como ela, outra companhias regionais chinesas que fazem rotas mais curtas no país enfrentaram dificuldades recentemente, perdendo passageiros para linhas de trem de alta velocidade que a China expandiu recentemente.

O último grande acidente na China aconteceu em novembro de 2004, quando um avião de passageiros com 53 pessoas a bordo caiu em um lago congelado perto da cidade de Baotou, no norte do país. Duas pessoas em terra também morreram no acidente.

Arte/ iG
Aeronave era do modelo E190
*Com AP, BBC e AFP

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG