Caixa-preta de avião da Embraer é encontrada na China

Autoridades revisam para 42 número de mortos em acidente com aeronave que levava 96 a bordo

iG São Paulo |

Os serviços de resgate encontraram a caixa-preta do avião da Embraer que caiu na China nesta terça-feira, informou nesta quarta a imprensa oficial do país. Autoridades chinesas também anunciaram uma revisão no número de mortes causada pelo acidente: foram 42 vítimas fatais, e não 43, como divulgado anteriormente.

O avião, um E-190, da companhia Henan Airlines, caiu perto da pista de aterrissagem do aeroporto de Yichun, na província Heilongjiang, no nordeste do país. O avião, que levava 96 pessoas a bordo (91 passageiros, incluindo cinco crianças, e cinco tripulantes), pegou fogo após a queda.

De acordo com o governo chinês, documentos das vítimas mostram que os mortos tinham entre 12 e 55 anos. Fontes oficiais confirmaram também que um grupo de funcionários do Ministério de Recursos Humanos e Seguridade Social viajava no avião, e a maioria deles sobreviveu ao acidente.

A imprensa chinesa afirma que o capitão do avião também sobreviveu e está no hospital, mas não está em condições de relatar o que aconteceu.

O avião decolou pouco antes das 21h locais (10h de Brasília) da capital da província, Harbin, para fazer um voo de 360 quilômetros com destino a Yichun, a cerca de 150 quilômetros da fronteira com a Rússia.

As causas do acidente ainda são desconhecida, mas há suspeitas de que um denso nevoeiro dificultou a aterrissagem. O site da revista econômica chinesa "Caijing" afirma que o aeroporto de Yichun não estava preparado para operar à noite.

O último acidente aéreo de grande magnitude na aviação comercial chinesa aconteceu em novembro de 2004, quando um Bombardier CRJ-200LR se acidentou perto de Baotou (norte da China), causando a morte de 53 pessoas a bordo e outras duas em terra.

Embraer

A Embraer colocou à disposição uma equipe de técnicos para apoiar as autoridades chinesas na investigação sobre as causas do acidente. A assessoria de imprensa da empresa confirmou que se tratava de um modelo Embraer 190 (E190), cuja fabricação é brasileira.

O acidente é o maior da história da fabricante brasileira. Desde que o modelo começou a ser construído em 1999, nenhuma aeronave havia se envolvido em acidente. De acordo com a Embraer, o E190 da companhia aérea Henan Airlines foi entregue no segundo semestre de 2008 e, portanto, tinha menos de dois anos de uso.

Arte/ iG
Aeronave era do modelo E190

Os aviões E190 da Embraer já somaram mais de quatro milhões de horas de voo em todo o mundo. O modelo que se acidentou foi o 233º construído pela fabricante brasileira. Até o fim de junho deste ano, outras 57 unidades haviam sido entregues. Toda a linha E190 é produzida pela Embraer em São José dos Campos, a 91 quilômetros da capital paulista, onde fica a sede da empresa.

A Henan Airlines é uma joint venture entre a companhia aérea Shenzhen, da China, e a Mesa Air Group, dos EUA, e tem como base a Província de Henan. A companhia opera em sua maioria com jatos regionais menores, principalmente em rotas no norte e noroeste da China. Previamente conhecida como Kunpeng Airlines, a companhia aérea foi relançada no início deste ano como Henan Airlines.

Henan Airlines e outra companhias regionais chinesas que fazem rotas mais curtas no país enfrentaram dificuldades em anos recentes, perdendo passageiros para linhas de trem de alta velocidade que a China expandiu recentemente.

Com EFE, AFP e BBC

    Leia tudo sobre: Embraeraviãochinaacidentedesastres aéreos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG