Após acidente, presidente da Rússia pede mudanças na aviação

Medvedev quer redução do número de companhias e renovação da frota após queda de avião deixar 43 mortos

iG São Paulo |

O presidente da Rússia, Dmitri Medvedev, pediu nesta quinta-feira mudanças imediatas na aviação do país, um dia após um acidente ter deixado 43 mortos na região de Yaroslavl. As vítimas incluem 36 integrantes do time de hóquei Lokomotiv, entre jogadores e membros da comissão técnica. Dois sobreviventes estão em estado grave.

AP
Destroços do avião são vistos no rio Volga, na região de Yaroslavl

Entre as medidas propostas por Medvedev estão a “drástica” redução do número de companhias aéreas, a renovação da frota de aviões e um melhor treinamento de tripulantes. O avião que se acidentou na quarta-feira, um Yak-42, estava em atividade desde 1993.

“É uma grave tragédia, um acidente de grande impacto, um forte golpe a todo o país”, afirmou Medvedev, que participou de uma cerimônia em homenagem às vítimas no aeroporto de Tunosha, onde oYak-42 decolou. “A investigação será transparente e pública.”

O governador de Yaroslavl, Sergei Vajrukov, decretou nesta quinta-feira três dias de luto a partir desta sexta-feira no Estado, um dos 83 que formam a Federação da Rússia.

O Ministério de Emergência da Rússia informou nesta quinta-feira que as equipes de resgate recuperaram os corpos de 43 vítimas do acidente. Os trabalhos de resgate não foram interrompidos durante a noite e as equipes de mergulhadores fizeram buscas incessantes no rio Volga, onde caiu parte da fuselagem da aeronave.

Enquanto isso, os médicos lutam para salvar a vida dos dois únicos sobreviventes da tragédia, o jogador de hóquei Alexander Galimov e um dos tripulantes, Alexander Sizov.

Os feridos foram transferidos nesta quinta-feira para clínicas na capital russa, segundo informou o escritório de imprensa do Ministério da Saúde da Rússia.

A aeronave, que pertencia à companhia Yak-Service, tinha como destino o aeroporto de Minsk, capital da Bielo-Rússia. Segundo fontes da aviação civil russa citada pela agência Interfax, a certidão de voo expirava em outubro.

A Procuradoria Geral da Rússia ordenou a abertura de investigação tanto para a companhia aérea que explorava o avião acidentado quanto aos serviços aeroportuários, a fim de estabelecer as responsabilidades.

O Comitê de Instrução da Rússia indicou nesta quinta-feira que as investigações estão centradas em duas hipóteses: uma falha mecânica no avião ou um erro dos pilotos.

Com EFE e AP

    Leia tudo sobre: rússiadesastres aéreosaviãoacidente

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG