Após acidente, China ordena inspeção de segurança em aviões

Tragédia com avião fabricado pela Embraer encerra período de mais de 2 mil dias sem acidentes aéreos no país

iG São Paulo |

O governo da China ordenou uma ampla inspeção de segurança nos aviões de país após a queda de uma aeronave fabricada pela Embraer e operada pela companhia Henan Airlines nesta terça-feira. O acidente deixou 42 mortos e 54 feridos

O presidente chinês Hu Jintao e o primeiro-ministro Wen Jiabao determinaram uma investigação e a inspeção dos aviões para "eliminar qualquer risco". Importantes companhias aéreas como a China Eastern e a China Southern convocaram reuniões para reforçar as medidas de segurança, informou a agência oficial Xinhua.

Antes da tragédia, a aviação civil havia registrado 2.102 dias sem acidentes, "o período mais longo na história da China", destacou uma fonte da CAAC (Administração Chinesa de Aviação Civil), citado pelo jornal em língua inglesa China Daily.

A Xinhua afirmou que, em junho, a CAAC convocou uma reunião para discutir problemas técnicos que teriam sido detectados em aviões Embraer E-190, mesmo modelo da aeronave que caiu na terça-feira. Entre as falhas estariam  fendas em placas das turbinas e informações erradas nos sistemas de controle de voo.

A causa do acidente desta semana ainda não foi identificada. As investigações preliminares mostram que o avião aterrissou longe da pista, causando a destruição da cabine e uma pequena explosão que incendiou parte da aeronave. Horas depois de receber informações sobre o acidente, a Embraer enviou uma equipe de especialistas a Yichun, o local do acidente, para ajudar nas investigações.

Aeroporto

O aeroporto também é alvo de críticas de empresas chinesas. A maior companhia aérea do país, China Southern, teria alertado no ano passado sobre as condições de segurança. Segundo um relato publicado pelo Diário da Juventude de Pequim e reproduzido por agências de notícias internacionais, a China Southern teria decidido, em setembro do ano passado, mudar da noite para o dia o seu único voo para o aeroporto Lindu, na cidade de Yichun.

A decisão teria ocorrido poucos dias após a inauguração do aeroporto, na província de Heilongjiang, no norte da China, em agosto de 2009. Um comunicado da companhia postado na internet cita a preocupação com o terreno no entorno do aeroporto, com a iluminação da pista de pouso e com as condições climáticas no local, e recomenda que não houvesse voos noturnos no aeroporto.

Segundo relatos locais, havia um intenso nevoeiro na região na noite de terça-feira, e a visibilidade estaria limitada a 300 metros.

Arte/ iG
Aeronave era do modelo E190

Com AFP, EFE e BBC

    Leia tudo sobre: desastres aéreoschinaaviãoacidente

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG