Acidente de avião deixa ao menos 20 mortos no Casaquistão

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Companhia aérea informa que o piloto fazia sua segunda abordagem em meio a uma neblina pesada quando o avião caiu a cerca de cinco quilômetros do aeroporto

Um avião de passageiros caiu nesta terça perto da principal cidade do Casaquistão, Almaty, deixando ao menos 20 mortos. De acordo com a companhia aérea Scat, a aeronave tinha 15 passageiros e cinco tripulantes a bordo, enquanto o escritório do procurador-geral do país afirmou que havia 21 pessoas a bordo.

Dezembro: Queda de avião militar mata 27 no sul do Casaquistão

Saiba mais: Veja o especial sobre Desastres Aéreos

Autoridades disseram que o avião, que vinha da cidade de Kokshetau, no norte do país, desapareceu do radar cerca das 13h13 locais. A companhia aérea informou que o piloto fazia sua segunda abordagem em meio a uma neblina pesada quando o avião caiu a cerca de cinco quilômetros do aeroporto.

O Ministério de Emergências disse que a aeronave era um Bombardier CRJ200, um jato regional com duplo motos que poderia acomodar cerca de 50 passageiros. Segundo a Scat, a causa do acidente não será determinada até que a caixa-preta do voo seja examinada. A procuradoria afirmou que abriu uma investigação criminal sobre a companhia aérea.

Infográfico: Saiba quais são os 10 piores acidentes aéreos do mundo

Saiba mais: Acidentes aéreos e falhas alteram tecnologia de aviação

Leia também: Decolagem e pouso são as fases mais perigosas do voo

O primeiro-ministro Serik Akhmetov ordenou a criação de uma comissão estatal para investigar o acidente, que é o segundo a acontecer recentemente no Casaquistão. Em dezembro, a queda de um avião militar durante violentas tempestades de neve perto de Shymkent, no sul do país, deixou 27 mortos.

Scat, cuja base fica em Shymkent, está proibida de voar dentro da União Europeia (UE). A companhia opera voos regionais dentro do Casaquistão, um país com 16,5 milhões de habitantes. Apenas uma companhia casaque, a estatal Air Astana, está autorizada a voar na UE.

*Com AP

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas