Cecelia Chichan quebra silêncio de 25 anos e fala sobre acidente aéreo que deixou 154 mortos nos EUA - e ao qual sobreviveu

A única sobrevivente de um acidente aéreo que deixou 154 mortos em Michigan, nos Estados Unidos, quebrou um silêncio de 25 anos e concedeu sua primeira entrevista sobre o assunto. “Penso no acidente todos os dias”, disse a americana Cecelia Chichan, em depoimento aos diretores do documentário “Sole Survivor” ("Único Sobrevivente", em tradução literal), ainda inédito. “É difícil não pensar. Quando olho no espelho, tenho cicatrizes visíveis.”

Leia também: O milagre de ser o "único sobrevivente" de um desastre aéreo

Cecelia Chichan concede entrevista aos realizadores de
Reprodução
Cecelia Chichan concede entrevista aos realizadores de "Sole Survivor"

Trechos do documentário foram exibidos pelo programa “Today Show”, da rede americana NBC. Cecelia, hoje com 29 anos, tinha apenas quatro em 16 de agosto de 1987, quando voava em um avião da Northwest Airlines que explodiu pouco após a decolagem, na região de Romulus. Seus pais e o irmão de seis anos morreram.

O acidente – que matou todos os seis tripulantes, 148 dos 149 passageiros e duas pessoas em terra – aconteceu porque a aeronave não atingiu velocidade suficiente após decolar por erros cometidos pelos pilotos.

Saiba mais: Veja o especial do iG sobre desastres aéreos

Leia também:  Decolagem e pouso são as fases mais perigosas do voo

Segundo a NBC, Cecelia foi encontra em meio aos destroços com queimaduras em 30% do corpo. Após deixar o hospital, ela foi criada por tios em Birmingham, Alabama, que preferiram mantê-la longe da imprensa.

Ela disse que pretende voltar a ficar longe dos holofotes. "O documentário ‘Sole Survivor’ é mais sobre um grupo, por isso quis me envolver e ser parte de algo maior”, afirmou, em seu depoimento aos cineastas.

A jovem contou que mantém contato com familiares de algumas vítimas do acidente e com o bombeiro que a resgatou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.