Veja as sugestões do iG para a Virada Cultural 2011

Dicas vão de Rita Lee e Pauliho da Viola a luta livre e filme de Zé do Caixão

iG São Paulo |

A 7ª edição da Virada Cultural acontece neste sábado e domingo em São Paulo. As principais informações e a programação completa do evento você encontra aqui . Abaixo, o iG sugere um roteiro de atrações, divididas de acordo com o horário em que acontecem.


SÁBADO - DAS 18h às 24h

18h - Rita Lee (palco Júlio Prestes)
A cantora paulistana estreia na Virada Cultural fazendo o show de abertura na praça Júlio Prestes. Rita apresenta sua nova turnê, "Etc", em que canta mais uma vez seus maiores sucessos. Não se esperaria algo diferente, já que, afinal de contas, se passaram oito anos desde seu último álbum de inéditas, “Balacobaco”. Espere, portanto, um belo apanhado de hits como “Lança Perfume”, “Ovelha Negra”, “Amor e Sexo”, “Doce Vampiro”, “Mania de Você” e outros clássicos do pop nacional.

20h - Taylor McFerrin (EUA) e BNegão (palco República)
O ex-integrante do Planet Hemp se encontra com o produtor nova-iorquino, famoso por misturar samples e beatbox.

20h - Danilo Gentili + comediantes (palco Viaduto do Chá)
O programa “CQC” é em boa parte responsável pela explosão que o stand-up comedy teve no país, já que seus integrantes, quando estão fora da tela, juntam uns bons trocados fazendo graça em palcos Brasil afora. Nada mais apropriado, portanto, do que Danilo Gentili, talvez seu repórter mais ácido, abrir os trabalhos do palco dedicado à stand-up na Virada. Ao longo da noite, madrugada e todo o domingo, comediantes vão se revezar no microfone. Dica para quem quiser relaxar depois de uma boa pernada.

20h - "Pink Flamingos" (Cine Palácio do Cinema - sala 2)
Um dos filmes mais célebres do diretor underground John Waters, estrelado em 1972 pela drag-queen Divine, numa hilária trama criminal.

20h30 - "Guerra dos Mundos" (Cine Dom José)
Clássico da ficção científica de 1953, uma adaptação da história de H.G.Wells, a mesma que Orson Welles leu em rádio americana na década de 1930 e provocou pânico entre a população do país. Um meteoro cai numa cidadezinha do interior e de lá saem naves mortais, cheias de marcianos ansiosos para dominar a Terra. Efeitos especiais e elenco muito acima da média das produções do gênero na época.

22h - Fred Wesley and the New JBs (palco República)
Fred Wesley fez parte da banda de James Brown nos anos 1960 e 1970 e se autoproclama o trombonista “mais funk do do mundo”. Aos 67 anos, continua divulgando o legado do “pai do soul”, agora à frente de seu próprio grupo. No repertório do show, sucessos de Brown como “Sex Machine”, “Soul Power” e “Say it Loud - I’m Black and I’m Proud”.

22h - Luiz Melodia (CEU Vila Atlântica)
O cantor carioca leva ao teatro do centro educacional o repertório do álbum “Estação Melodia”, com sambas das décadas 1930, 40 e 50.

Divulgação
Cena de "O Dia em Que a Terra Parou"
22h10 - "O Dia em que a Terra Parou" (cine Dom José)
Neste marco da ficção científica, dirigido em 1951 por Robert Wise (“A Noviça Rebelde”, “Amor, Sublime Amor”), um alienígena alerta os terráqueos para que eles vivam em paz ou sejam destruídos.

23h - Skatalites (palco São João)
O lendário grupo jamaicano é uma das principais atrações do palco dedicado ao ska, dub e aos ritmos latinos. Com turnês anuais pelo Brasil, o Skatalites é tido como um dos fundadores do ska na década de 1960, e até hoje continua um dos nomes mais influentes do gênero. Ao longo de sua carreira, a banda já tocou com Bob Marley, Peter Tosh e Bunny Wailer.

23h - Ritchie (palco Arouche)
O autor de “Menina Veneno” promete manter o público do Centro aceso entre as performances de Elymar Santos (21h) e Marina Lima (1h)


DOMINGO - DA 0h às 6h

0h - Toni Tornado e Dom Salvador (palco República)
Toni Tornado começou sua carreira como cantor nos anos 70. Foi um dos grandes nomes da soul music do Brasil ao lado de Tim Maia, Cassiano e Hyldon. Seu grande sucesso é "BR-3", música vencedora do 5º Festival Internacional da Canção, em 1970. Neste show, ele se une ao músico e arranjador Dom Salvador, outra lenda da música negra brasileira dos anos 70.

0h - Cibelle e Cidadão Instigado (palco 15 de Novembro)
A cantora Cibelle, radicada na França, se une ao Cidadão Instigado, uma das bandas mais inventivas da nova geração.

AE
A cantora Marina Lima
1h - Marina Lima (palco Arouche)
Marina Lima se apresenta na Virada prestes a lançar seu 19ª disco. A cantora ganhou notoriedade nos anos 80, por sua voz doce e por transitar entre a MPB tradicional e o emergente rock nacional. Após problemas na voz na virada da década de 90, a cantora surge cada vez mais confiante.

1h30 - Mombojó (Sesc Consolação)
Os pernambucanos lançaram um elogiado terceiro disco em 2010, "Amigo do Tempo", onde adicionam psicodelia ao rock-samba dos anteriores.

2h - "Mágico de Oz" com trilha sonora de "Dark Side of the Moon" (Cinesesc)
A lenda é famosa: quando tocado como trilha de fundo para o filme "Mágico de Oz", o clássico álbum do Pink Floyd "The Dark Side Of The Moon" fica sincronizado perfeitamente com as cenas. A banda, no entanto, sempre afirmou que o fato é apenas uma feliz coincidência. De qualquer forma, é uma boa oportunidade para conferir o fenômeno.

2h - Misfits (palco Júlio Prestes)
O Misfits é um dos veteranos do punk-rock ainda na ativa. Surgido em 1977 na cidade de Lodi, no Estado americano de Nova Jersey, ligeiramente afastados da cena novaiorquina dos Ramones, eles abordavam temas mais obscuros em suas letras e acabaram influenciando o thrash metal, notoriamente o Metallica.

2h30 - BWF - Luta Livre (palco Arena Anhangabaú)
No espaço dedicado à luta livre, o popular "telecatch", a Brazilian Wrestling Federation promove um torneio especial para a Virada Cultural. Às 2h30 da manhã estão programadas as lutas classificátorias para a competição, incluindo desafios entre Dragão Branco Ninja e El Gringo e Guerrilheiro Robson Cruz e Kid Abelha.

3h - Orquestra Contemporânea de Olinda (Sesc Consolação)
A banda renova a tradição musical pernambucana com sua leitura particular de frevo e maracatu.

3h30 - "Jesus Cristo Superstar" (Cine Palácio do Cinema - sala 1)
Filme de 1973 que retrata os últimos dias da vida de Cristo em uma versão pop e musical.

5h30 - "Hair" (Cine Palácio do Cinema - sala 1)
Um dos clássicos da cultura hippie, transpôs para o cinema o psicodelismo e a filosofia paz e amor dos anos 60.


DOMINGO - DAS 6h às 12h

Divulgação
A cantora paraense Gaby Amarantos
6h - Gaby Amarantos (palco Barão de Limeira)
Expoente máximo do tecnomelody paraense, a cantora é um fenômeno de popularidade que há muito extrapolou o Norte do país e domina a internet. Gaby Amarantos mistura música regional, folclórica, com ritmos eletrônicos. Já tem quatro álbuns.

8h - Monarco (palco República)
Um dos grandes sambistas do Rio de Janeiro, Monarco, 77 anos, é integrante da Velha Guarda da Portela e compositor de músicas como “Lenço”, “Vida de Rainha”, “Vai Vadiar” e “Coração em Desalinho”. Lançou seu primeiro disco solo, como intérprete, em 1976, e no ano passado gravou o DVD “Monarco: A Memória do Samba”.

8h - "Delírios de um Anormal" (Cine Windsor)
O mundo dos sonhos serve de palco para este filme de 1978 de Zé do Caixão, que combina cenas antigas do personagens e até metalinguagem.

9h - Yusa (palco São João)
A cantora cubana mistura ritmos caribenhos e de sua terra-natal a rock, jazz e ritmos brasileiros.

9h - "A Máquina do Tempo" (Cine Olido)
Adaptação de H.G. Wells de 1960, em que um cientista da Inglaterra vitoriana viaja para o futuro e encontra a civilização dividida em duas raças primais.

9h30 - "Heavy Metal" (Cine Palácio do Cinema - sala 1)
Ícone da animação mundial, “Heavy Metal” unia histórias de fantasia e ficção científica publicadas na revista homônima. É formado por oito curtas independentes e marcou época por mostrar nudez, violência e sexo num filme de animação, tradicionalmente voltado para crianças – atualmente, tem status cult. A trilha sonora é um destaque à parte, com músicas do Black Sabbath, Devo, Cheap Trick e Blue Öyster Cult.

Divulgação
Cena de "Encarnação do Demônio"
10h - "Encarnação do Demônio" (Cine Windsor)
A bela mostra dedicada a José Mojica Marins, o Zé do Caixão, no Cine Windsor exibe na manhã de domingo “Encarnação do Demônio”, trabalho mais recente do ator, diretor e personagem. Produzido em 2008, 30 anos depois do último filme de Zé do Caixão, “Encarnação” mostra o vilão de cartola e unhas gigantescas saindo da prisão e continuando sua busca para gerar um herdeiro perfeito. Ele continua sua saga de medo, terror e tortura numa favela. Horror brasileiro de primeira linha, fiel à tradição do “gore”, com muita sanguinolência.

11h - A Cor do Som (palco Arouche)
Discípulos dos Novos Baianos, A Cor do Som é um dos expoentes da música brasileira da década de 1970, ao unir rock, ritmos regionais e a nascente música popular. Formado por Armandinho (guitarra), Dadi (baixo), Mu (teclados), Gustavo (bateria) e Ary Dias (percussão), a banda inicialmente era voltada para a música instrumental, mas estourou com “Beleza Pura”, de Caetano Veloso. Entre seus sucessos, estão “Zanzibar”, “Arpoador”, “Frutificar” e “Suingue Menina”.

11h - "Quadrilha de Sádicos" (Cine Olido)
Dirigido por Wes Craven em 1977, o filme mostra uma família que tem o azar de ver o trailer em que viaja estragar no meio do nada e fica à mercê de um grupo de maníacos alheios à civilização.


DOMINGO - DAS 12h às 18h

13h - "A Noite dos Mortos Vivos" (Cine Olido)
Um dos grandes clássicos do terror, "A Noite dos Mortos Vivos" é um dos precursores dos filmes de apocalipse com zumbis, em moda nos últimos anos com o filme "Zombieland" e a série "Walking Dead". Lançado em 1968, foi produzido de forma independente por George Romero, com orçamento de US$ 114 mil. Clássico cult, Uma década após o lançamento já havia arrecadado mais de US$ 42 milhões.

14h - Leandro Lehart (palco República)
O sambista, ex-Art Popular, se apresenta após lançar o disco "Ensaio de Escola de Samba", que reúne 18 sambas-enredo.

Divulgação
Mad Professor
15h - Mad Professor (palco São João)
O jamaicano Mad Professor, um dos grandes nomes do dub, vem à Virada para apresentar um set de discotecagem cheio de grooves hipnóticos. O produtor se notorizou ao trabalhar com nomes do reggae como Pato Banton e Sly And Robbie e por enveredar pela música eletrônica ao colaborar com o Massive Attack.

15h20 - Cia. Cisne Negro (palco Estação da Luz)
Uma das mais inovadoras companhias brasileiras, comemora 34 anos em 2011.

17h - Stell Pulse (palco São João)
Banda inglesa de reggae formada em 1975 por influência do ritmo jamaicano.

17h - Erasmo Carlos (palco Arouche)
Erasmo revisita sua longa carreira em um show roqueiro, embalado pelo seu último (e bom) disco " Rock 'n' Roll", de 2009, e pelo lançamento de sua auto-biografia. No repertório, clássicos da Jovem Guarda do maior e mais importante parceiro de Roberto Carlos.

18h - Paulinho da Viola (palco República)
O sambista encantou o público que compareceu a seus recentes shows no Sesc Pompeia com uma apresentação inspirada. Na Virada, o show deve conter os grandes hits do cantor, como "Coração Leviano" e "Foi Um Rio que Passou em Minha Vida".

18h - RPM (palco Júlio Prestes)
Um dos maiores sucessos do rock brasileiro dos anos 80, a banda volta mais uma vez à ativa e em breve lança disco de inéditas. No show da virada devem interpretar clássicos como "Olhar 43", "Loiras Geladas" e "Rádio Pirata".

18h - Jorge Mautner (palco 15 de Novembro)
Mais compositor do que cantor, Mautner conviveu com Caetano e Gil no exílio em Londres e é autor de, entre outras, "Maracatu Atômico".

18h45 - São Paulo Cia. de Dança + Osesp (palco Estação da Luz)
A orquestra apresenta a "Suíte nº 3 em Sol Maior" de Tchaikovsky, com acompanhamento de dança.

    Leia tudo sobre: Virada Cultural

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG