Theatro Municipal de SP festeja centenário com ópera "Rigoletto"

Com direção de Felipe Hirsch, espetáculo fica em cartaz até domingo; ingressos estão esgotados

Augusto Gomes, iG São Paulo |

A ópera "Rigoletto", de Giuseppe Verdi, foi o espetáculo escolhido para festejar o centenário do Theatro Municipal de São Paulo. A montagem, dirigida por Felipe Hirsch , conhecido por trabalhos com a Sutil Companhia de Teatro como "Avenida Dropsie" e "A Vida É Cheia de Som e Fúria", estreou nesta segunda-feira, data em que o espaço completou 100 anos. A temporada vai até domingo (18), e os ingressos já estão esgotados.

Agência Estado
Cerimônia de 100 anos do Theatro Municipal: próximo passo é gestão privada
Em 18 anos de carreira, essa é apenas a segunda experiência de Hirsch em ópera. "Eu já tinha feito 'Barba Azul' em 2006. Depois o espetáculo veio para a temporada de 2008 aqui do Municipal", explica. A escolha de "Rigoletto" ficou a cargo do próprio diretor e, agora, ele espera levar o espetáculo a outras cidades. "Não tem sentido montar algo grande para apenas seis apresentações. A ideia é que se mantenha em repertório."

Siga o iG Cultura no Twitter

Mas, por enquanto, estão certas apenas as performances que acontecem até domingo, além de uma grande possibilidade de mais apresentações no próprio Municipal no início do ano que vem.

Segundo Hirsch, seu objetivo ao dirigir ópera é que o trabalho não seja diferente do que ele faz em teatro. "Eu tento trabalhar com a mesma intensidade emocional", explica. "Gosto quando todo mundo se envolve intensamente, profundamente, conceitualmente. Não apenas os solistas, mas também o coro, o elenco de apoio."

"Também ignoro um pouco quando dizem para mim que ópera deve se dirigir 'dessa maneira'", continua. "Estou inventando uma maneira de dirigir. Enquanto estiverem me aceitando, está bom."

Paulo Vitale
Theatro Municipal
Gestão privada

O aniversário de 100 anos do Theatro Municipal aconteceu três meses após sua reinauguração , depois de três anos fechado para reformas. As obras modernizaram o palco, revitalizaram a fachada, recompuseram pinturas e vitrais e restauraram assentos e encontos. O custo foi de mais de R$ 28 milhões, com recursos da Prefeitura de São Paulo e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

O próximo passo é implantar a gestão privada do teatro. Em maio, a Câmara Municipal aprovou projeto de lei que transforma o Municipal numa fundação, que poderá contratar uma organização social para gerenciar o espaço. Segundo o secretário municipal de Cultura, Carlos Augusto Calil, a implantação vai acontecer até a metade do ano que vem.

"A fundação não retira o Municipal da prefeitura, mas dá a ele autonomia administrativa e financeira. Trata-se de uma casa muito complexa e que precisa cuidar de si", explica Calil. "Há várias vantagens. O teatro, por exemplo, poderá ficar com as receitas provenientes dos espetáculos. Hoje, eles vão para a Prefeitura".

O secretário adiantou que, no ano que vem, o Theatro Municipal voltará a fazer parte da programação da Virada Cultural. O espaço foi utilizado nas primeiras edições do evento, mas ficou de fora três últimas justamente por causa das obras de restauro. "Ele certamente estará na Virada do ano que vem", disse.

Selo comemorativo

Durante a cerimônia de comemoração do centenário do Municipal, foi lançado um selo comemorativo da data. Com tiragem de 600 mil exemplares, os selos estão disponíveis em agências dos correios a partir desta terça.

null

    Leia tudo sobre: theatro municipalteatrofelipe hirsch

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG