"The Whole Truth" mostra os dois lados de um julgamento

Nova produção de Jerry Bruckheimer peca por falta de profundidade, mas acerta na química dos protagonistas

Pedro Beck, especial para o iG Cultura |

Divulgação
Maura Tierney e Rob Morrow, protagonistas da série "The Whole Truth"

Mais um ano e mais uma produção do superprodutor Jerry Bruckheimer chega à TV. Desta vez é "The Whole Truth" e a emissora é a ABC. Protagonizada por Rob Morrow e Maura Tierney, a série, diferentemente de várias produções sobre o assunto, mostra os dois lados de um julgamento.

Tierney é Kathryn Peale, promotora-chefe do Estado de Nova York, workaholic e "control freak", que aterroriza seus associados em busca de vitórias no tribunal. Morrow interpreta Jimmy Brogan, um dos mais bem-sucedidos advogados de defesa de Manhattan, que joga sinuca com seus associados no seu tempo livre.

"Truth" é uma espécie de piloto remendado de algumas séries do gênero que não funcionaram, inclusive "Justice" (Fox), outro produto de Bruckheimer que falhou na audiência em 2006. Porém, aqui, a nova produção tem seus méritos: o casal protagonista é o ponto alto da série, que apesar de falhar em se aprofundar nos casos da semana, se sobressai quando coloca Morrow e Tierney frente a frente - os dois, além de amigos fora do tribunal, parecem ter tido algum tipo de relação mais profunda no passado.

O piloto foca demais nos dois, o que é bom, pois existe uma ótima química entre eles, mas peca ao ignorar o elenco secundário - que conta com o ótimo Eamonn Walker - e ao correr demais com a história, para dar mais cenas a Morrow e Tierney.

Pode parecer piegas, mas um dos motivos pelos quais a série talvez não funcione - já vai mal na audiência - é justamente por mostrar os dois lados do caso. Ao final do piloto, os dois protagonistas sentam para conversar sobre o desfecho, já anunciado, e ambos já sabiam para que lado o júri se inclinaria, já sabiam se o acusado era mesmo um assassino ou não. Piegas, pois moralista ou não, a audiência norte-americana não apoia esse tipo de postura em um show da TV aberta, não aceita que um personagem apoie alguém que talvez seja um assassino.

"The Whole Truth" já periga na audiência. O piloto da série teve performance 50% inferior à exibição de "Eastwick" no mesmo dia e mesmo horário na temporada passada. Atraiu apenas 4.8 milhões de telespectadores e marcou 2.0 pontos na demo qualificada 18-49 - números muito abaixo das expectativas da emissora.

Talvez se a ABC se preocupasse em promover melhor a série, que não deve muito às outras do mesmo gênero das concorrentes - como “The Defenders”, da CBS, ou a franquia “Law & Order” -, "Truth" teria uma vida mais longa. Não parece o caso: depois de "Lone Star", a produção de Bruckheimer aparece como favorita ao posto de próxima série cancelada da temporada.

    Leia tudo sobre: The Whole Truth

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG