Selton Mello: ¿O mais importante ator do nosso cinema é Wagner Moura¿

Ator dubla aparelho doméstico na inusitada comédia ¿Reflexões de um liquidificador¿, que estreia no Rio na próxima sexta-feira

Valmir Moratelli, iG Rio de Janeiro |

Isabela Kassow
No filme ¿Memórias de um liquidificador¿, Selton Mello dubla com humor o próprio eletrodoméstico
Ele já fez papel de nordestino, de um homem que idealiza sua mulher invisível, traficante da alta classe carioca, acaba de filmar como um palhaço para seu segundo longa como diretor e, mais recentemente, foi um médico curandeiro na série “A Cura”, na TV Globo. Selton Mello tem uma vasta lista de personagens fora do comuns em sua carreira. Agora se soma a todos estes papeis o de um liquidificador pensante.

nullÉ com este inusitado personagem que Selton protagoniza o filme “Reflexões de um liquidificador”, com direção de André Klotzel, com estreia no Rio de Janeiro prevista para sexta-feira (12) – o filme já está em exibição em São Paulo e vai estrear aos poucos no restante do Brasil . No elenco também está Ana Lucia Torre, que vive a dona de casa que bate papo com o aparelho.

Com uma carreira extensa e repleto de trabalhos, aos 37 anos, Selton tem, entre os próximos filmes a serem lançados, a sua segunda direção, com “O Palhaço”, previsto para 2011, no qual atua ao lado de Paulo José. “Reis e Ratos”, de Mauro Lima, e “Lope”, de Andruccha Waddington, também serão lançados em breve. Ainda que seja apontado como um dos mais representativos atores do cinema nacional da atualidade, ele foge do pedestal com modéstia.

“Este título de ‘o mais importante ator do nosso cinema’ pertence ao senhor chamado Wagner Moura, não tem para mais ninguém”, afirma Selton, que conversou com a reportagem do iG momentos antes de ver pela primeira vez nas telonas sua hilária dublagem como um eletrodoméstico. 

Isabela Kassow
O título de ator mais importante do nosso cinema pertence ao senhor chamado Wagner Moura, não tem para mais ninguém
iG: O cinema nacional não tem tanta tradição em comédias de humor negro. Por que se prefere fazer comédias mais escrachadas, de humor fácil?
SELTON MELLO:
Sabe que isso é verdade? Não saberia te responder com uma teoria. Temos mesmo mais filmes de humor fácil, de situações cotidianas... O humor negro não é o que se vê. Neste filme do André, temos uma boa opção. A situação é que precisamos acostumar mais o público com o humor politicamente incorreto. Os americanos fazem melhor isso.

iG: Fazer um liquidificador é o seu papel mais inusitado, não? Como surgiu o convite?
SELTON MELLO:
Brinco dizendo que fui o convidado de última hora do filme, fui o último a chegar à festa. Quando li o roteiro, e antes disso, quando o André me contou do que se tratava, achei original, pensei “quero fazer sim”. As coisas atraentes é que me motivam a aceitar. É um papel bastante inusitado fazer um liquidificador, né?

Isabela Kassow
Adoro ver filmes dublados. Principalmente os que são de animação
iG: Você lida bem com aparelhos domésticos?
SELTON MELLO:
Lido bem, sim. Nunca tive problema com eles (risos). Eles ficam todos lá, caladinhos!

iG: Já se pegou conversando com algum deles, como a personagem do filme (vivida por Ana Lucia Torre)?
SELTON MELLO:
Até agora não (risos). Mas no dia que for preciso, farei sem o menor problema, trocaria uma ideia com um deles. Não tenho esse tipo de drama.

iG: Você tem uma grande experiência com dublagens. Quando surgiu esta paixão pela dublagem?
SELTON MELLO:
Gosto da oportunidade de dublar a voz. Dublo personagens desde criança, quando tinha 14 anos. Fiz várias coisas legais, seriados, filmes como “Irmão Urso”, “A Nova Onda do Imperador”, fiz o personagem Charlie Brown... Convivi com grandes artistas do mundo da dublagem. Me dá muito prazer trabalhar com a voz.

iG: Você gosta de ver filmes dublados? Quais são seus filmes dublados preferidos?
SELTON MELLO:
Adoro. Tem ótimos filmes para se ver dublados, principalmente os que são de animação. Os desenhos da Disney são muito bem dublados aqui no Brasil.

Isabela Kassow
Selton confirma: "Pretendo dirigir cada vez mais, estou com bastante desejo"
iG: “O Palhaço” é seu segundo longa como diretor. Pretende aos poucos seguir para trás das câmeras?
SELTON MELLO:
Pretendo dirigir cada vez mais, estou com bastante desejo. Estou gostando da ideia de contar uma história como diretor. Não sei se isso vai tender a diminuir minhas atuações... O filme já está em fase de finalização, com uma história muito bonita e deve estrear em maio de 2011.

iG: O release do filme te coloca como o “mais importante ator do atual cinema nacional”. Gosta desse título?
SELTON MELLO:
Este título não me pertence. Este título de ‘o mais importante ator do nosso cinema’ pertence ao senhor chamado Wagner Moura, não tem para mais ninguém. Eu estou longe de ser o mais importante tendo ele para ser indicado a esta categoria. Eu aplaudo o trabalho do Wagner.

    Leia tudo sobre: selton mello

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG