Se programe para não perder o melhor da festa do teatro em Curitiba

O maior festival de teatro do país atinge a maioridade com programação de mais de 400 espetáculos

Dênis Victorazo, especial para o iG |

Divulgação
Luiza Lemmertz e Cássio Scapin em 'O Libertino', que participa do festival depois de temporada de sucesso em São Paulo
De 27 de março a 8 de abril acontece o Festival de Teatro de Curitiba, que completa vinte e um anos este ano. Maior de idade, apresenta pela primeira vez uma mostra de espetáculos com temática adulta.
O Festival, que acontece anualmente, virou realmente gente grande. Para se ter uma ideia do tamanho da edição 2012, basta dizer que cerca de 400 espetáculos serão apresentados em 13 dias.
A mostra oficial, com 29 espetáculos, tem representantes de seis estados brasileiros e de outros dois países, Espanha e Inglaterra. Serão oito estréias nacionais e uma grande oportunidade de ver ou rever bons espetáculos que tiveram temporada de sucesso antes do festival, casos por exemplo de "O Libertino", que tem direção de Jô Soares, "Hécuba”, dirigido por Gabriel Vilela com Walderez de Barros no papel principal, ou o sucesso cult "Luis Antonio-Gabriela", drama autobiográfico de Nelson Baskerville. Entre as estréias, está o Grupo Galpão com "Eclipse", baseado em texto de Anton Tchécov.


Isabela Kassow
Edson Celulari e o sobrinho Pedro Garcia Netto, que atuam pela primeira vez juntos
A diversidade é grande: há atores consagrados, famosos na TV, como Edson Celulari, Vera Holtz e Francisco Cuoco. Tem teatro alternativo, mais experimental. Tem teatro regional, tem show de humor. Tem espetáculos em salas nobres, salas pequenas, teatro de rua, teatro para crianças. Teatro de manhã, de tarde e de noite.
Divulgação
Vera Holtz em cena de "Palácio do Fim", dirigida por José Wilker
A sugestão para o espectador não ficar perdido diante de tamanha quantidade é estudar a programação e comprar antes os ingressos para o que considerar imperdível, mas também ficar atento às novidades, ao boca a boca. O Festival oferece oportunidades de interação em diversos eventos paralelos, festas, encontros, onde se tem oportunidade de conhecer pessoas e saber qual é a boa dica.
Dê uma chance para o novo, para o desconhecido. São essas surpresas que fazem valer a pena arriscar e sair da zona de conforto.
Divulgação
Elias Andreato, ator e diretor, em cena de "Equus", com Leonardo Miggiorin
Segundo o ator e diretor Elias Andreato, que já participou do festival diversas vezes e esse ano atua no espetáculo “Equus”, o mais legal é a mistura de produções diferentes, famosos e anônimos, e o encontro de diversos artistas nacionais e internacionais.

"Esse intercâmbio significa muito... E a mostra paralela está crescendo a cada ano, mostrando artistas de fora do eixo Rio-São Paulo." Elias assinou a direção da peça “Cruel”, com Reynaldo Gianecchini, que acaba de voltar à temporada em São Paulo e não está no festival.

REMÉDIO PARA A ALMA
Outro veterano em Curitiba, Gilberto Gawronski marca presença nessa edição com dois espetáculos, dirigindo Edson Celulari e o jovem Pedro Garcia Neto (sobrinho de Edson) em "Nem Um Dia Se Passa Sem Notícias Suas" e na criação e atuação do monólogo "Ato de Comunhão", e confirma: "Estar num festival é sempre um atestado de qualidade do trabalho, e a possibilidade de encontro com pessoas que fazem teatro por todo o país é uma delícia! O público de festival tem curiosidade, quer discutir a obra que vê, não quer apenas divertimento."

Divulgação
Cena do espetáculo cult "Luís Antonio - Gabriela", obra autobiográfica do diretor Nelson Baskerville
Apesar da agenda apertada por conta das múltiplas tarefas nos dois espetáculos, Gawronski não planeja descanso: “Como a programação é muito vasta, espero conseguir ver outros espetáculos." E convida: "Uma cidade que abriga um festival de teatro está atenta à alma de seu povo. Portanto, se quiser cuidar da sua alma, não deixe de prestigiar esse evento."
Divulgação
O elenco de "O Libertino": À frente, no centro, Cássio Scapin e Luiza Lemmertz; Tânia Castello está atrás, entre eles
Tânia Castello, atriz da comédia "O Libertino", já se apresentou até no Festival de Edinburgo, na Escócia, mas nunca em Curitiba: "Há alguns anos eu ia participar, mas uma semana antes quebrei o tornozelo e precisei ser substituída. Foi frustrante, por isso estou animada para conhecer o Festival dessa vez". Na opinião dela, grande parte do público de um festival se informa antes, lê a respeito e isso faz diferença também.


DEGUSTAÇÃO E REFLEXÃO

Como nem tudo é festa, O Festival é também espaço para reflexão e debate, onde discute-se o panorama atual das artes cênicas, a criação contemporânea e diversos temas. Os debates acontecem sempre com entrada franca.
Outra atração esse ano será uma novidade, o "Gastronomix", evento gourmet que tem o selo "Gastronomia Responsável" e acontece nos dias 31 de março e 1 de abril. O Gastronomix contará com diversos chefs que dão prioridade aos produtos orgânicos, sem risco de extinção e que serão usados sem desperdício.
Por essas e outras, o maior mérito do Festival é ser tão democrático e mostrar que existe teatro de todo tipo, para todo tipo de público. O iG estará lá e manda notícias.

Serviço:

FESTIVAL DE TEATRO DE CURITIBA
DE 27 DE MARÇO A 8 DE ABRIL
INGRESSOS: de entrada franca a R$50,00
site oficial: http://festivaldecuritiba.com.br/




    Leia tudo sobre: teatrofestival de curitibaprogramação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG