Museu Nacional de Belas Artes sedia retrospectiva da obra de um dos mais importantes pintores brasileiros

Eliseu Visconti
Divulgação
Eliseu Visconti
Sessenta e três anos após a primeira exposição, o Museu Nacional de Belas Artes (MNBA) abriga, a partir do dia 3 de abril, “Eliseu Visconti – A modernidade antecipada”, com cerca 250 obras, entre pinturas, desenhos, cerâmicas e documentos do artista. Das obras expostas, muitas nunca foram vistas pelo público nem pelos especialistas em história da arte brasileiros. Elas pertencem a 15 instituições e a 80 colecionadores particulares.

Com entrada gratuita , a exposição tem como propósito consolidar o legado de Visconti, mostrando como, em sua trajetória pioneira, foi um agente capital da modernização da arte brasileira, sem romper com os artistas que o antecederam.

Leia também: Tarsila do Amaral ganha megaexposição no Rio

A produção de Visconti - pouco conhecida ou discutida abertamente no Brasil - é apresentada em toda sua extensão, desde o início de sua carreira, em 1888, época em que ainda fazia parte da Academia Imperial de Belas-Artes, até o seu falecimento, em 1944. Em seus quase 80 anos de vida, acompanhou de perto a imensa transformação que conduziu o país de Império a Estado Novo, do escravismo ao trabalhismo, da arte romântica à arte moderna. Uma oportunidade e tanto para se desvendar um pouco mais de Eliseu Visconti, um italiano da cidade de Salerno, onde nasceu em 1866 e que veio ainda menino para o Brasil.

Leia também: Irmãos Campana trazem suas "poltronas" para exposição no Rio

A retrospectiva é dividida por períodos e temas, em consonância com os trabalhos desenvolvidos pelo pintor e designer. Entre eles estão paisagens, cenas de família, retratos, nus, temas históricos, painéis decorativos e objetos de design, além de desenhos e aquarelas. Dentre as pinturas, destacam-se na exposição 25 autorretratos, dentre os mais de 40 que Visconti criou em seus 60 anos de produção. Formalmente Visconti manteve-se na produção figurativa, sendo considerado o mais expressivo representante da pintura impressionista no Brasil.

O visitante terá ainda a possibilidade de acompanhar o processo artístico de Visconti na composição das obras “Maternidade” (1906) e “Recompensa de São Sebastião” (1897), por meio de estudos e variantes pouco conhecidos, e ainda apreciar “Gioventù” (1898), considerada a “Mona Lisa” brasileira, ganhadora da medalha de prata na Exposição Universal de Paris em 1900.

SERVIÇO :
“Eliseu Visconti – A modernidade antecipada”
Museu Nacional de Belas Artes
Avenida Rio Branco, 199 – Centro, Cinelândia. RJ
(21) 2219-8474
De 3 de abril a 17 de junho de 2012
Terça a sexta-feira, das 10h às 18h. Sábados, domingos e feriados, das 12h às 17h
Entrada francas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.