Quadro roubado de Cézanne de R$ 240 milhões é recuperado na Sérvia

Obra do final do século 19 havia sido levada por homens encapuzados de museu de Zurique em 2008 junto com três outras pinturas

iG São Paulo com agências |

Divulgação
"O menino de colete vermelho", pintado por Paul Cézanne entre 1894 e 1895
A polícia sérvia anunciou nesta quinta-feira (12) ter recuperado em Belgrado o quadro "Le garçon au gilet rouge" ("O menino de colete vermelho"), de Paul Cézanne, roubado em Zurique, na Suíça, em 2008, e avaliado em 100 milhões de euros (R$ 240 milhões). Ainda não há confirmação oficial se a pintura é, no entanto, original.

Siga o iG Cultura no Twitter

Tanto a televisão pública "RTS" como a versão eletrônica do jornal "Blic", além da rádio "B92", anunciam a recuperação da obra, assim como a detenção em Belgrado e na cidade de Cacak, 150 quilômetros ao sul da capital sérvia, de três suspeitos do roubo.

Fontes do Ministério do Interior sérvio evitaram confirmar ou desmentir a notícia, mas falaram sobre a possibilidade de uma entrevista coletiva abordar o assunto nesta quinta-feira.

"Acreditamos que a pintura é 'O Menino de Colete Vermelho' de Cézanne e três suspeitos foram detidos em conexão com isso", afirmou um policial à Reuters, que preferiu não se identificar. "Especialistas da Sérvia e do exterior estão tentando averiguar se a pintura é original."

A operação foi preparada durante vários meses e a Polícia sérvia cooperou com colegas de vários países na busca da obra e de seus ladrões, segundo informa a imprensa local.

"O menino de colete vermelho", pintado entre 1894 e 1895, foi roubado em 10 de fevereiro de 2008 por três assaltantes encapuzadas e armados no Museu de Zurique, que invadiram o local pouco antes do horário de fechar e mandaram os funcionários deitar no chão enquanto levavam o que queriam.

O assalto foi o maior roubo de obras de arte da história suíça e um dos maiores do mundo. Além do quatro de Cézanne, foram levados "Comte Lepic et ses filles", de Edgar Degas (1871); "Branche de marronnier em fleurs" (1890), de Vincent Van Gogh; e "Les coquelicots près de Vétheuil" (1879) de Claude Monet, obras que faziam parte da coleção de Emil Bührle.

Duas das telas roubadas, uma de Monet e outra de Van Gogh, foram recuperadas dias depois, abandonadas em um carro, mas as outras duas – a de Cézanne e uma pintura de Degas – estavam desaparecidas.

* com Reuters e EFE

    Leia tudo sobre: roubopaul cezannemuseu

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG