Quadro de Portinari é furtado de museu em Pernambuco

Funcionários do Museu de Arte Contemporânea de Pernambuco perceberam o furto no final da tarde de ontem

Augusto Gomes, iG São Paulo |

Divulgação
Quadro "Enterro", de Candido Portinari
Um quadro do pintor Candido Portinari avaliado em mais de R$ 1 milhão foi furtado do Museu de Arte Contemporânea de Pernambuco, em Olinda. Ainda não se sabe como o furto aconteceu. A falta do quadro foi percebida no final da tarde de ontem.

A obra, intitulada "Enterro", mede 23cm por 33cm e foi pintada em 1959, durante a fase azul do artista. A pintura fazia parte do acervo do museu desde sua inauguração, em 1966.

Segundo a diretora do MAC, Célia Labanca, os vigilantes só perceberam que a obra tinha sido roubada quando viram uma moldura sem tela atrás de uma janela no momento de fechar o local. Célia não soube dizer se o roubo ocorreu na quarta-feira ou antes.

Ela admitiu que o MAC de Pernambuco, com uma coleção de quatro mil obras de arte, carece de um sistema eletrônico de vigilância, de um circuito interno de câmeras e de sensores de presença. A única segurança é a oferecida pelos vigias.

No momento, o museu está fechado para a realização de uma perícia. Segundo informações da Fundarpe (Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco), as polícias civil e federal já foram acionadas, assim como a Interpol (Organização Internacional de Polícia Criminal).

Em dezembro de 2007, uma outra obra de Portinari ("O Lavrador de Café") foi furtada do Museu de Arte de São Paulo, junto com "O Retrato de Suzanne Block", de Pablo Picasso. As duas pinturas foram recuperadas poucas semanas depois.

Em maio do ano passado, outras duas pinturas de Portinari, "O Cangaceiro" e "Retrato de Maria", estavam entre as obras roubadas da casa de Ilde Maksoud, de 80 anos, ex-mulher do empresário Henry Maksoud. Os quadros foram encontrados dois dias após o crime.

Veja abaixo a nota oficial da Fundarpe sobre o furto:

"A Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), órgão do responsável pela administração do Museu de Arte Contemporânea de Pernambuco (MAC-PE), em Olinda, já informou à Polícia Civil do Estado sobre o desaparecimento do quadro Enterro, datado de 1959, de autoria de Candido Portinari, que faz parte do acervo do equipamento cultural.

A ocorrência foi notificada ontem (14/07, dia do desaparecimento) às delegacias de Repressão a Roubos e Furtos – sob responsabilidade do delegado Manuel Martins e do delegado-adjunto Felipe Regueira – e de Repressão a Crimes Contra o Patrimônio Público – a cargo da delegada Cláudia Freitas. O caso será investigado pela especializada em Repressão a Roubos e Furtos.

Ainda no dia do episódio, peritos do Instituto de Identificação Tavares Buril estiveram no local para coleta de rastros e impressões digitais. Hoje (quinta-feira, 15/07), técnicos do Instituto de Criminalística compareceram ao local para coleta de mais material. Por se tratar de um fato que pode ter repercussões internacionais, o ocorrido também foi comunicado à Polícia Federal e à Interpol.

A diretora do MAC, Célia Labanca, prestou depoimento na manhã de hoje (15, quinta-feira). Ela também forneceu à Polícia o livro de ata do Museu além de réplica do quadro para facilitar nas buscas da obra de arte. A Fundarpe informa ainda que o Museu de Arte Contemporânea de Pernambuco possui vigilância 24h e conta com funcionários e monitores para acompanhamento dos visitantes."

* Com informações da agência EFE

    Leia tudo sobre: Candido Portinari

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG