Polícia recupera arte após escultura ser vendida a ferro-velho

Obras de Picasso e Botero haviam sido roubadas em 27 de novembro

BBC Brasil |

selo

Divulgação
Obra Topos IV, de Eduardo Chillida
A polícia espanhola conseguiu recuperar 34 obras de arte milionárias depois de uma escultura roubada ter sido vendida a um ferro-velho.

Trinta e cinco obras de artistas como Pablo Picasso, Fernando Botero e Eduardo Chillida haviam sido roubadas de um galpão nos arredores de Madri em 27 de novembro. As obras pertenciam a seis galerias.

Alguns dias atrás, a polícia recebeu a informação de que uma delas, "Topos IV", uma escultura no formato de um banco feita por Eduardo Chillida, tinha sido oferecida a um ferro-velho por 30 euros (R$ 67). A obra tem valor estimado de 800 mil euros (quase R$ 1,8 milhão). A polícia conseguiu recuperá-la antes que fosse fundida.

Encontrada a escultura, a polícia confirmou no domingo que localizou também outras 33 obras roubadas, em um subúrbio próximo ao local do roubo. Todas estão em bom estado.

Um porta-voz da polícia de Madri disse nesta terça à BBC Brasil que uma das obras ainda permanece desaparecida, mas não pôde informar qual delas, para não atrapalhar as investigações. Ninguém foi preso até agora.

Quando o roubo ocorreu, as peças - que, segundo estimativas, valem, em conjunto, 5 milhões de euros (R$ 11 milhões) - haviam acabado de retornar de uma exposição na Alemanha e ainda estavam guardadas dentro de um caminhão, em um galpão em Getafe, perto de Madri. Os ladrões invadiram o local e saíram dirigindo o caminhão.

Na época, a polícia acreditou se tratar de um roubo encomendado. Mas, por causa da venda de uma das peças ao ferro-velho, um porta-voz das forças de segurança disse que "aparentemente, estamos lidando com amadores".

    Leia tudo sobre: esculturarouboarte

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG