Obras de Botero e Matta lideram leilão de arte latino-americana

Brasileiros Adriana Varejão e Helio Oiticica também tiveram obras compradas

Reuters |

Um retrato de um toureiro mirim e outros adultos, pintado pelo artista colombiano Fernando Botero, liderou o leilão de arte latino-americana da Christie's, no qual também foram marcados recordes de preços para obras de artistas brasileiros, colombianos, mexicanos e argentinos do pós-guerra.

"Cena de Família" (1985), de Botero, mostrando toureiros, foi arrematado por 1,7 milhão de dólares, o preço mais alto do leilão da noite de quarta-feira, que rendeu um total de 18,65 milhões de dólares e ressaltou também a demanda forte por trabalhos do chileno Matta, cuja obra faz uma ponte entre a abstração e o surrealismo.

"Foi um leilão excelente que revela o dinamismo renovado do mercado de arte", comentou Virgilio Garza, diretor de arte latino-americana da Christie's. "Psicologicamente falando, os compradores estão dispostos agora a pagar por obras importantes."

Os trabalhos de Botero oferecidos venderam bem. Os toureiros corpulentos de "Cena de Família" trajam suas vestes cerimoniais; entre eles há um bebê vestido a caráter, com gravata vermelha e meias brancas.

A escultura de bronze "Mulher Sentada", de Botero, foi vendida por 842.500 dólares. "S'Enroseer" (1956), de Matta, e seu "Sem Título" (1942), também estiveram entre os lotes principais, tendo sido arrematados respectivamente por 866.500 e 842.500 dólares.

Matta foi professor de artistas abstratos americanos em Nova York, como Robert Motherwell e Jackson Pollock, quando eram principiantes.

"Paisagem Canibal", da brasileira Adriana Varejão, marcou um recorde para trabalhos da artista em leilão, sendo arrematado por 602.500 dólares. "Mataesquema (Dois Brancos)", do brasileiro Hélio Oiticica, foi vendido por 362.500 dólares.

"Seuil de Perception, Continuel-lumiere-Mobile", criado pelo argentino Julio Le Parc no início dos anos 1960, marcou outro recorde ao ser comprado por 506.500. O trabalho consiste em madeira, metal, cordas de náilon e lâmpadas.

O misto de cubismo e realismo social "9 de abril", do colombiano Alpio Jaramillo, retrata o furor e a matança dos tumultos urbanos de 1948 que convulsionaram Bogotá após o assassinato de um candidato presidencial progressista. A venda da tela por 110.500 dólares marcou a primeira vez em que o trabalho de Jaramillo chegou a um leilão internacional.

"Mis Amigos Secretos" (1992), do mexicano Julio Galan -- óleo, fitas e 'objets trouvés' sobre tela -- marcou um recorde para o artista: 98.500 dólares.

    Leia tudo sobre: BoteroMatta

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG