Obra de Gustav Klimt que foi depredada será leiloada

Restituída recentemente, pintura roubada pelos nazista foi avaliada em R$ 38,3 milhões

EFE |

Reprodução
Imagem da pintura "Litzlberg am Attersee"
A casa de leilões Sotheby's colocará à venda no próximo dia 2 de novembro em Nova York uma tela do pintor austríaco Gustav Klimt, que foi depredada pelos nazistas e restituída recentemente aos herdeiros de sua proprietária, informou o jornal "Der Standard".

Trata-se da obra "Litzlberg am Attersee", pintada em 1915 e que foi roubada pelos nazistas depois que sua proprietária foi deportada e assassinada em 1941. Em 21 de abril, o Museu de Arte Moderna de Salzburgo anunciou a restituição do quadro aos herdeiros da proprietária original. O atual proprietário do valioso quadro é Georges Jorisch, neto de Amalie Redlich, que adquiriu a obra em 1938.

Em 1941, ela foi enviada a um campo de concentração na Polônia, onde foi morta. A Gestapo se apropriou do quadro e o vendeu a um marchand de arte de Salzburgo. Depois disso ele foi parar no Museu de Arte Moderna. Jorisch anunciou que doará US$ 1,7 milhão (R$ 2,6 mi) ao museu austríaco onde o quadro ficou exposto até agora.

Segundo o "Der Standard", especialistas da Sotheby's avaliaram o quadro em US$ 24,4 milhões (R$ 38,3 mi), mas se espera que o preço final de venda seja muito maior.

    Leia tudo sobre: Gustav Klimt

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG