ZZ Top faz festa rock em São Paulo

Banda veterana toca sucessos em apresentação cheia de blues, coreografias e longas barbas grisalhas

Guss de Lucca, iG São Paulo |

Stephan Solon / Via Funchal
Dusty Hill e Billy Gibbons: não faltou solo de baixo e guitarra no primeiro show do ZZ Top no Brasil
Entupido. Era esse o estado da casa de shows paulistana Via Funchal no momento em que Billy Gibbons (guitarra e vocal), Dusty Hill (baixo e vocal) e Frank Beard (bateria) entraram no palco e deram início ao primeiro show da história do ZZ Top no Brasil.

O grupo trouxe consigo duas séries de amplificadores brancos e, ao contrário do que normalmente ocorre, não utilizou os telões da casa, mas sim uma tela própria que transmitiu imagens durante toda a apresentação - inclusive trechos dos clipes que fizeram sucesso nos anos 1980, como "Gimme All Your Lovin'" e "Legs".

Apesar de sexagenários, os membros do grupo não decepcionaram a plateia e por quase duas horas tocaram canções de fases diferentes de seus 40 anos de carreira, como "Tush", de 1975, "Got Me Under Pressure", de 1983 e "Pincushion", de 1993 - esta última acompanhada de uma bela loira dançando no telão.

Em um momento curioso, Billy Gibbons chamou duas garotas ao palco e travou um diálogo em português, onde afirmou não ter vindo ao Brasil de avião ou barco, mas na sua "bicicleta", e recebeu um chapéu para tocar blues, arrancando risos do público.

Stephan Solon / Via Funchal
Billy Gibbons brincou durante todo o show
Empolgado, o vocalista brincou o tempo todo, tocando guitarra com apenas uma das mãos, uivando e até acendendo um cigarro dentro da casa - se não desconhece a lei antifumo, Gibbons provavelmente não se importa com ela e seus fãs também.

Junto com o baixista Dusty Hill ele protagonizou os famosos passos característicos do grupo, em que ambos movem-se da mesma maneira e repetem os movimentos, coreografia que em qualquer outra banda soaria cafona, mas não no ZZ Top.

Entre canções de rock e alguns blues, o trio ainda teve tempo de tocar duas covers: a animada "Viva Las Vegas", com imagens da capital mundial dos jogos de azar, e "Hey Joe", acompanhados por um telão cheio de cores psicodélicas e uma fotografia do guitarrista Jimi Hendrix.

Mas o público vibrou mesmo no final da apresentação, quando foram tocados os hits "La Grange", "Gimme All Your Lovin'" e "Legs", com direito aos "instrumentos de pelúcia" utilizados no clipe oitentista que foi exibido junto da canção.

Com a experiência acumulada em quatro décadas de rock, o ZZ Top não deixou de fora nada que os fãs esperavam ver. Não faltaram solos de guitarra, paradinhas ensaiadas, longas barbas grisalhas e as vozes rasgadas de Gibbons e Hill. A apresentação não teve bis, de fato, mas é improvável que alguém reclame.

    Leia tudo sobre: ZZ TopBilly GibbonsDusty Hill

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG