BR La Canción Inesperada - Música - iG" /

Wander Wildner Y Sus Comancheros BR La Canción Inesperada

Diego Fernandes |

Por Diego Fernandes

Wander Wildner é algo bem próximo de uma maldita instituição na música nacional. Certo, uma instituição de dentes podres e discurso pós-show (em geral no bar) beirando o incoerente, e talvez justamente por isso tão importante. Wander tem o bom-senso (e o estoicismo) de se lixar para convenções e citar sem vergonha suas inspirações, por mais inglórias que sejam ¿ e é isso que resulta em um estilo inconfundível e ocasionalmente brilhante.

A idéia de que a produção do onipresente Kassin ¿ mais para a MPB do que para rock - sinalizaria uma guinada para longe do rótulo bastardo de 'punk-brega' associado ao cantor é dissipada já na primeira faixa, "Um Bom Motivo" (claramente uma das cinco melhores músicas já gravadas pelo cantor). "Cada vez que olho pra trás, fico imaginando não te ver nunca mais / Mas nem na televisão existem imagens tão coloridas / Nem nos livros / Nem nas bebidas / Então me dê um motivo pra não chorar / Me dê um motivo pra não cheirar cola esta noite", berra, com a voz limpa, como se tivesse composto as letras conforme gravava, o mesmo coração dilacerado desde sempre.

A versão mais próxima do tradicionalismo gaudério de "Amigo Punk" (da Graforréia Xilarmônica, a música mais ostensivamente gaúcha já composta pelo chamado *pigarro* rock gaúcho) lima grande parte do humor original, mas acrescenta profundidade e um belíssimo instrumental movido a gaita (como o acordeão é chamado entre os tradicionalistas gaúchos).

Os elementos do velho Wander estão todos aqui: covers que são bonitas de tão tacanhas, romantismo com aquele hálito de bebum, citações referenciais, gaúchas e específicas; até o portuñol miserável comparece. Kassin confere nitidez e uma série de matizes inéditas à simplicidade que sempre fez a fama de Wander ("Bocomocamaleão", com seu tributo a Waldick Soriano, é o melhor exemplo da sonoridade panorâmica dessa nova fase).

O único porém é a duração do disco, que, a exemplo dos shows, acaba por ultrapassar a paciência de quem ouve. Supostamente, faz parte da ética de trabalho do cantor, entregar ao público algo digno do valor do ingresso ou do disco, o que não deixa de ser louvável. La Canción Inesperada tem picos extraordinários e Wander está tão bem quanto jamais esteve ¿ mas alguém simplesmente tem que dizer ao homem quando parar.

    Leia tudo sobre: wander wildner

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG