Visite o apartamento de Jimi Hendrix

Nos 40 anos da morte do guitarrista, imóvel em Londres também sedia exposição

AFP |

AFP
Parte do acervo em homenagem ao guitarrista
O apartamento de Londres onde Jimi Hendrix viveu abrirá suas portas ao público em setembro, 40 anos depois da morte do lendário guitarrista. Hendrix, cujos sucessos incluem "Purple Haze" e "Hey Joe", tinha 27 anos e estava no auge da carreira quando morreu, afogado no próprio vômito, em um quarto de hotel no dia 18 de setembro de 1970, depois de ingerir um coquetel mortal de soníferos e vinho tinto.

O músico norte-americano havia alcançado a fama pouco antes de se mudar dos Estados Unidos para a Inglaterra, onde se instalou em 1968 com a namorada Kathy Etchingham no número 23 da rua Brook, no elegante bairro de Mayfair. O apartamento abrirá suas portas excepcionalmente durante 12 dias em setembro, coincidindo com o aniversário de sua morte.

O imóvel pertence à Casa Museu de Georg Friedrich Händel, compositor barroco de origem alemã nacionalizado britânico que morou no edifício contíguo. Conta-se que Hendrix, ao saber disso, correu para a loja de discos mais próxima para comprar uma cópia do "Messias".

O local também abrigará a partir desta semana uma exposição sobre Hendrix, na qual o visitante poderá ver suas guitarras e até um curioso autorretrato, além de roupas usadas pelo músico em shows, como uma colorida jaqueta de veludo estampada e um chapéu.

Kathy Etchingham contou que os 18 meses que Hendrix passou no apartamento foram a primeira vez em que o ídolo do rock sentiu ter sua própria casa. "Estávamos encantados por ter nosso pequeno espaço próprio, onde Jimi podia descer da montanha-russa da fama e fortuna e se esconder", lembra. "Podíamos ser como qualquer outro jovem casal, assistir Coronation Street [uma das séries de TV mais populares do Reino Unido na época] e beber chá com leite ao invés de whisky com Coca-Cola".

AFP
Roupas usadas em shows e vídeos do músico
Outras estrelas da música dos anos 60, como o beatle John Lennon, vinham visitar o guitarrista – que, por sua vez, também jurava receber visitas do fantasma de Händel –, relata Martin Wyatt, subdiretor do museu e curador da exposição. "Hendrix estava fazendo a barba numa manhã e desceu correndo as escadas para dizer a Kathy: 'Acabo de ver um velho com uma peruca passando'", disse Wyatt à AFP.

O estilo de sua vida londrina respalda a descrição de Jimi Hendrix como um homem tranquilo, apesar do personagem que encarnava nos palcos quando incendiava guitarras e tocava solos distorcidos com os dentes.

"Ele era muito calmo, muito agradável e amigo das diversões", lembra Roger Mayer, que trabalhou como engenheiro de som no arranjo de músicas como "Purple Haze". "Seu estilo de vida não era de maneira nenhuma selvagem, como as pessoas imaginam. Obviamente, quando se apresentava, Jimi não podia estar drogado ou fora de si, porque não é possível tocar bem nesse estado".

    Leia tudo sobre: jimi hendrixrockmúsicalondreshandel

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG