UE aumenta para 70 anos proteção de direitos autorais dos músicos

Medida aprovada nesta segunda-feira busca proteger intérpretes até o final de suas vidas

EFE |

A União Europeia (UE) decidiu nesta segunda-feira (12) aumentar o tempo de proteção dos direitos que os músicos e produtores fonográficos têm sobre suas gravações de 50 para 70 anos.

"A nova diretriz pretende aumentar o nível de proteção dos intérpretes reconhecendo suas contribuições criativas e artísticas", informou o Conselho da UE em comunicado. Bélgica, República Tcheca, Holanda, Luxemburgo, Romênia, Eslováquia, Eslovênia e Suécia votaram contra a proposta, enquanto Áustria e Estônia se abstiveram.

Siga o iG Cultura no Twitter

De acordo com a UE, os intérpretes são pessoas que geralmente começam suas carreiras "muito jovens", e o prazo de 50 anos "não protegia suas obras durante toda sua vida", por isso muitos não tinham renda no final da vida nem podiam confiar sempre em seus direitos para evitar ou restringir usos não autorizados de suas músicas.

A nova diretriz também prevê medidas para garantir que os artistas que tenham transferido seus direitos exclusivos a produtores possam ser verdadeiramente beneficiados com o aumento do prazo, além de recuperar seus direitos sujeitos a certas condições.

A decisão também harmoniza o método para calcular o tempo de proteção de músicas e outras composições com letras criadas por vários autores. No caso de criação compartilhada, o Conselho anunciou que o termo de proteção expirará 70 anos após a morte do último sobrevivente, seja autor da letra ou compositor da música.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG