U2 é ameaçado por protestos na estreia em Glastonbury

Banda toca em festival no interior inglês sob críticas de desviar pagamento de impostos

Reuters |

Reuters
Placa ironiza chegada do U2 no Festival de Glastonbury
A banda de rock irlandesa U2 enfrenta a perspectiva de pequenos protestos enquanto se prepara para fazer sua estreia nesta sexta-feira em Glastonbury, um dos maiores festivais de música do mundo.

Dezenas de milhares de fãs já chegaram ao local do evento, uma fazenda leiteira no pitoresco sudoeste da Inglaterra, enfrentando campos recobertos de lama devido às chuvas recentes para terem um encontro com seus artistas favoritos em dezenas de palcos.

O foco principal da atenção na sexta-feira será a apresentação do U2 no palco Pyramid, construído na parte inferior de uma encosta gramada com lugar para mais de 100 mil pessoas em pé, dançando, cantando ou vaiando.

A banda se encontra na metade de uma turnê mundial que vem quebrando recordes, mas tem pouca experiência de tocar em festivais nos quais o público vem para assistir não apenas a ela.

O baterista Larry Mullen Jr. admitiu que a banda estará fora de sua zona de conforto.

"Apesar de tudo, temos algo a provar, e diz respeito às canções", disse ele em entrevista recente. "Diz respeito a uma banda poder se apresentar e tocar sua música, mesmo que não haja necessariamente efeitos especiais. Esse é um desafio para nós, e temos algo a provar."

O U2 estava previsto para apresentar-se em Glastonbury em 2010, mas teve que cancelar o show quando seu vocalista, Bono, machucou as costas.

Protestos por impostos

A banda talvez tenha consciência também de uma campanha lançada por um pequeno grupo de pressão chamado Art Uncut que quer chamar a atenção para a decisão tomada pelo U2 alguns atrás de transferir algumas de suas operações da Irlanda para a Holanda, para finalidades de impostos.

Críticos dizem que Bono, importante ativista contra a pobreza no mundo, deveria se dispor a pagar impostos plenos em seu próprio país, principalmente agora, quando a Irlanda enfrenta sérias dificuldades financeiras.

Reuters
Amigas conversam em meio à lama que domina fazenda onde o festival britânico é realizado
Em fóruns online, outros argumentam que a banda tem o direito de pagar impostos legalmente onde quiser e que Bono trabalha mais que a maioria dos roqueiros para chamar a atenção para problemas globais importantes como a pobreza e as doenças.

Antes da apresentação do U2, esta noite, o legendário bluesman B.B.King e o cantor Morrissey, de Manchester, vão se apresentar no palco Pyramid.

As outras atrações principais do festival serão o Coldplay, no sábado, e Beyonce, que fará o show de encerramento, no domingo, seguindo o caminho trilhado por seu marido, jay-Z, que conquistou fãs em Glastonbury com uma apresentação instigante em 2008.

Os visitantes dispõem de inúmeras opções de entretenimento, com centenas de bandas se apresentando em vários palcos espalhados pelo local de 364 hectares.

    Leia tudo sobre: u2glastonburyfestivalimpostos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG