Artista italiano, de 43 anos, foi vítima de acidente de moto no final de agosto

O tenor Salvatore Licitra, um dos mais importantes nomes da ópera italiana, morreu nesta segunda-feira (05) no Hospital Garibaldi, na região da Sicília, onde estava internado desde o dia 27 de agosto, quando ficou gravemente ferido em um acidente de trânsito. O tenor, de 43 anos, era considerado por especialistas como o sucessor de Luciano Pavarotti.

O tenor italiano Salvatore Licitra durante apresentação em 2003 no Central Park, em Nova York
AP
O tenor italiano Salvatore Licitra durante apresentação em 2003 no Central Park, em Nova York
Após o acidente, Licitra foi levado ao hospital em estado muito grave e teve que ser submetido a uma cirurgia de emergência na cabeça para a retirada de um coágulo, informou a imprensa italiana. Além disso, o tenor foi diagnosticado com traumatismo craniano e torácico em decorrência do grave acidente de moto que sofreu em Catânia na semana passada.

Segundo o relatório médico, uma isquemia cerebral provocou a falta de irrigação no cérebro e fez com que Licitra perdesse o controle do moto. No hospital, o cantor não conseguiu superar as múltiplas complicações e morreu. Segundo a imprensa italiana, a família do tenor optou pela doação dos órgãos. Uma celebração será realizada no teatro Vincenzo Bellini, na Catânia, para que fãs, amigos e parentes possam prestar tributo ao artista.

Nascido na Suíça, Licitra estreou como tenor no Teatro Régio de Parma com a ópera "Un Ballo in Maschera", de Giuseppe Verdi, em 1998. No ano seguinte, ele foi convidado pelo diretor Riccardo Muti para se apresentar no reconhecido teatro Scala com "La forza del destino".

Seu grande salto à fama veio mesmo em 2002, quando Licitra estreou no Metropolitan Opera, em Nova York. Na ocasião, ele substituiu Luciano Pavarotti em "Tosca", apresentando-se para mais de 3 mil espectadores, que o ovacionaram por vários minutos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.