Smirnoff NEP mostrou balada australiana em São Paulo

Dupla de DJs Holy Ghost! em pista imitando contâiner gigante foi destaque da noite

Gaía Passarelli, especial para o iG |

Divulgação
Smirnoff Nightlife Exchange Project
Aconteceu neste final de semana em São Paulo a primeira edição do Smirnoff NEP, evento global da marca de vodka que acontece simultaneamente em 14 países promovendo o intercâmbio entre as "baladas" do mundo. O Brasil recebeu o que os curadores do evento consideram a balada da Austrália e vice-versa - a banda Bonde do Rolê esteve em apresentação em Melbourne na noite de sábado.

Localizado em um enorme galpão na Vila Leopoldina paulistana, o Smirnoff NEP contou com público visivelmente disperso - talvez consequência da ressaca de uma sequência de shows nunca vista antes em São Paulo. Essa dispersão, aliada à complicada acústica do galpão (que havia recebido a primeira edicão do festival Campari Rock, em 2005), foi o principal ponto negativo da noite e fez algumas apresentações empacarem.

A pista de dança batizada Beats of the World era decorada como o interior de um container, com sistema de iluminação similar ao do club D-Edge, comandado pelo artista plástico Muti Randolph. Por lá passaram o DJ sul-africano Culoe de Song, com uma peculiar mistura de kwaito e house music, e o alemão Superpitcher, um dos grandes nomes do selo Kompakt, dono de sonoridade techno melódica e minimalista.

O destaque da noite foi o duo norte-americano Holy Ghost!, responsável por excelentes remixes de Mark Ronson (o produtor de Amy Winehouse e Lily Allen, por exemplo) e LCD Soundsystem. Formado por Alex Frankel e Nicholas Millhise, o Holy Ghost! apostou em house music e disco, colocando a pista abaixo até cerca das 5h de domingo.

Enquanto isso, o palco "Brasil Australia Stage" foi aberto pelo DJ brasileiro Coy Feitas. Aposta da Smirnoff, o projeto Galaxy IV, união de dois duos de DJs de São Paulo, o Database e o Roots Rock Revolution, se apresentou em seguida, para um público ainda miúdo, mas já começando a dançar. O one-man-show australiano Muscles colocou dançarinas no palco e caminhou cantando entre a platéia antes da morna apresentação da dupla Golden Filter, que reside em Nova York.

Nos intervalos entre os shows, o DJ Tim Poulton mantinha a pista rolando com remixes de The XX, La Roux, Peter Bjorn & John e Cut Copy. Ponto alto da noite foi a apresentação da dupla electro-pop Bag Raiders, em terceira passagem pelo Brasil, apresentando em formato live seu recém-lançado primeiro àlbum, homônimo. O show foi curto, mas valeu, com o público cantando junto a letra de músicas como "Shooting Star". Após o show, a plateia deu uma esfriada, mas a banda Van She e, em seguida, o DJ Renato Ratier ficaram no palco até cerca de 7h do domingo.

Sem problemas na entrada e na saída, o Smirnoff NEP teve público geral de cerca de 3 mil pessoas. Como na edição de 2009, foram distribuídos salgadinhos, sorvetes e água gratuitamente.

Além da música, a troca cultural entre os países esteve representada por drinks, petiscos e itens pontuais na decoração do espaço. As escolhas das bandas e dos drinks foram feitas a partir de sugestões na comunidade global online da Smirnoff no Facebook. Argentina, Canadá, Grã-Bretanha, Alemanha, Líbano, Polônia, Irlanda, Índia, Estados Unidos, África do Sul, Tailândia e Venezuela também receberam edições do Smirnoff NEP na noite de sábado.

    Leia tudo sobre: Holy Ghost

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG