Dupla de DJs Holy Ghost! em pista imitando contâiner gigante foi destaque da noite

Smirnoff Nightlife Exchange Project
Divulgação
Smirnoff Nightlife Exchange Project
Aconteceu neste final de semana em São Paulo a primeira edição do Smirnoff NEP, evento global da marca de vodka que acontece simultaneamente em 14 países promovendo o intercâmbio entre as "baladas" do mundo. O Brasil recebeu o que os curadores do evento consideram a balada da Austrália e vice-versa - a banda Bonde do Rolê esteve em apresentação em Melbourne na noite de sábado.

Localizado em um enorme galpão na Vila Leopoldina paulistana, o Smirnoff NEP contou com público visivelmente disperso - talvez consequência da ressaca de uma sequência de shows nunca vista antes em São Paulo. Essa dispersão, aliada à complicada acústica do galpão (que havia recebido a primeira edicão do festival Campari Rock, em 2005), foi o principal ponto negativo da noite e fez algumas apresentações empacarem.

A pista de dança batizada Beats of the World era decorada como o interior de um container, com sistema de iluminação similar ao do club D-Edge, comandado pelo artista plástico Muti Randolph. Por lá passaram o DJ sul-africano Culoe de Song, com uma peculiar mistura de kwaito e house music, e o alemão Superpitcher, um dos grandes nomes do selo Kompakt, dono de sonoridade techno melódica e minimalista.

O destaque da noite foi o duo norte-americano Holy Ghost!, responsável por excelentes remixes de Mark Ronson (o produtor de Amy Winehouse e Lily Allen, por exemplo) e LCD Soundsystem. Formado por Alex Frankel e Nicholas Millhise, o Holy Ghost! apostou em house music e disco, colocando a pista abaixo até cerca das 5h de domingo.

Enquanto isso, o palco "Brasil Australia Stage" foi aberto pelo DJ brasileiro Coy Feitas. Aposta da Smirnoff, o projeto Galaxy IV, união de dois duos de DJs de São Paulo, o Database e o Roots Rock Revolution, se apresentou em seguida, para um público ainda miúdo, mas já começando a dançar. O one-man-show australiano Muscles colocou dançarinas no palco e caminhou cantando entre a platéia antes da morna apresentação da dupla Golden Filter, que reside em Nova York.

Nos intervalos entre os shows, o DJ Tim Poulton mantinha a pista rolando com remixes de The XX, La Roux, Peter Bjorn & John e Cut Copy. Ponto alto da noite foi a apresentação da dupla electro-pop Bag Raiders, em terceira passagem pelo Brasil, apresentando em formato live seu recém-lançado primeiro àlbum, homônimo. O show foi curto, mas valeu, com o público cantando junto a letra de músicas como "Shooting Star". Após o show, a plateia deu uma esfriada, mas a banda Van She e, em seguida, o DJ Renato Ratier ficaram no palco até cerca de 7h do domingo.

Sem problemas na entrada e na saída, o Smirnoff NEP teve público geral de cerca de 3 mil pessoas. Como na edição de 2009, foram distribuídos salgadinhos, sorvetes e água gratuitamente.

Além da música, a troca cultural entre os países esteve representada por drinks, petiscos e itens pontuais na decoração do espaço. As escolhas das bandas e dos drinks foram feitas a partir de sugestões na comunidade global online da Smirnoff no Facebook. Argentina, Canadá, Grã-Bretanha, Alemanha, Líbano, Polônia, Irlanda, Índia, Estados Unidos, África do Sul, Tailândia e Venezuela também receberam edições do Smirnoff NEP na noite de sábado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.