Roberto Carlos faz primeiro show em São Paulo

Rei cantou sucessos de toda a sua carreira em um show descontraído e - como não poderia deixar de ser - emocionante

Juliana Zambelo |

Reuters
Rei canta sucessos de toda a sua carreira em um show descontraído e emocionante
Roberto Carlos fez na noite desta sexta-feira a primeira de nove apresentações de sua turnê 50 Anos de Música na cidade de São Paulo. Diante de um Ginásio do Ibirapuera completamente lotado com um público fervoroso que esgotou os ingressos para a apresentação em 24 horas, o Rei cantou sucessos de toda a sua carreira em um show descontraído e - como não poderia deixar de ser - emocionante.

Poucas diferenças separam esta apresentação do show realizado por Roberto no Maracanã e visto pelo país inteiro pelas lentes TV Globo. A produção foi um pouco mais modesta e o repertório, um pouco mais curto. E desta vez, os únicos convidados a pisar o palco foram músicos da Orquestra Sinfônica de São Paulo. Mas a cumplicidade entre artista e fãs e a reverência do público ao seu Rei, velhas companheiras dos shows do Roberto, marcaram as duas horas de show.

A noite teve início com pouco mais de 20 minutos de atraso. Como de costume, foi aberto pela banda com uma versão incidental de Como É Grande Meu Amor Por Você. A plateia, munida de pequenas velas eletrônicas que pontuavam todo o ginásio, cantou a canção em uníssono transformando o momento em um grande karaokê. Enquanto imagens de Roberto em suas mais diversas fases eram mostradas no telão, a banda executou uma curta passagem por outros sucessos do cantor propositalmente aumentando a ansiedade dos fãs. Quando finalmente o maestro Eduardo Lajes deu a deixa para os primeiros acordes de Emoções, o público maduro e bem vestido do Ibirapuera gritou como se tivesse 15 anos.

Roberto entrou no palco vestido de branco da cabeça aos pés e, visivelmente emocionado pela recepção calorosa, fez o que ninguém imaginou que ele fosse capaz de fazer: errou os primeiros versos de Emoções. O público tomou a escorregadela como um elogio e, claro, não se importou nem um pouco.

Como de costume, logo ao final da primeira música o cantor começou sua conversa com os fãs. Humilde, agradeceu às pessoas por terem ido ao show e por todas essas coisas bonitas que eu tenho recebido desde que nasci. Depois dos agradecimentos, Eu Te Amo, Te Amo, Te Amo fez novamente a plateia cantar junto.

O show seguiu com Além do Horizonte e Amor Perfeito e logo Roberto sentava em seu banquinho com o violão em mãos para tocar Detalhes, para muitos a melhor música de sua carreira. Com execução simples, como deve ser, ela continua irretocável em cada verso. Sem deixar o clima mudar, Outra Vez seguiu falando de grandes amores que acabaram.

Antes de entrar no pout-pourri de canções sobre sua infância, Roberto falou sobre as comemorações deste ano.Um dia alguém me falou que eu estava completando 50 anos de carreira. Eu respondi eu não tenho isso de idade, bicho, como posso ter de carreira?, brincou, emendando de forma séria: Esses 50 anos de carreira me têm feito pensar muito. Seria muito difícil imaginar minha vida sem as minhas canções, mas também seria difícil imaginar as canções sem a vida que eu vivi. O medley terminou com Lady Laura, música dedicada à sua mãe, e foi seguido por Nossa Senhora, que foi encerrada com uma chuva de fogos de artifício.

Sexo e Jovem Guarda

Logo a atmosfera mudou e, após a dolorida Do Fundo do Meu Coração, veio o momento quente do show com a tradicional sequência focada na fase sensual de sua carreira. De Proposta a Café da Manhã passando por Seu Corpo e Os Seus Botões, o medley culminou com Cavalgada. Executada de forma apoteótica pela banda, a canção de letra explicitamente sexual desagradou às senhoras mais pudicas, mas levou show magistralmente para o seu clímax.

Com a apresentação em seus momentos finais, Roberto apresentou a banda (esses amigos, esses irmãos) e cantou, pela primeira vez na noite, canções da época da Jovem Guarda, mas passou rapidamente por alguns sucessos para enfim voltar a Como É Grande o Meu Amor Por Você.

Sem fugir da tradição, Roberto encerrou o show com Jesus Cristo com o público já em pé, boa parte dele espremido perto do palco para tentar pegar uma das mais de 100 rosas distribuídas pelo cantor.

Durante o show, Roberto Carlos definiu sua carreira como um entra e sai de emoções sem saber se é para rir ou para chorar... durante 50 anos. O público também não sabe muito bem o que fazer e, muitas vezes durante esta noite, chorou de emoção com um grande sorriso no rosto. O Rei diz que, tanto faz se rindo ou chorando, o importante é viver as emoções. E, se ele diz, quem somos nós - pobres súditos - para discordar?

Até o dia 03 de setembro, Roberto Carlos fará mais oito apresentações na capital paulista. Após a liberação de um lote extra de entradas, ainda há ingressos para todas as datas.

Confira a lista completa de músicas da apresentação:

"Como é grande o meu amor por você" (introdução)
"Emoções"
"Eu te amo, te amo, te amo"
"Além do horizonte"
"Amor perfeito"
"Detalhes"
"Outra vez"
"Aquela casa simples"
"Meu querido, meu velho, meu amigo"
"Lady Laura"
"Nossa Senhora"
"Mulher pequena"
"Caminhoneiro"
"Do fundo do meu coração"
"Proposta"
"Seu corpo"
"Os seus botões"
"Café da manhã"
"Cavalgada"
"É proibido fumar"
"Namoradinha de um amigo meu"
"Quando"
"E por isso estou aqui"
"Jovens tardes de domingo"
"Como é grande o meu amor por você"
"É preciso saber viver"
"Jesus Cristo"

    Leia tudo sobre: roberto carlos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG