Renato Teixeira apresenta seu folk caipira em SP

Música se apresenta com filhos e amigos no Teatro FECAP

Redação iG Música |

Renato Teixeira consegue dividir o imaginário popular com as diversas facetas de seu trabalho, que apesar de se relacionarem, são raramente vistas como parte de um todo maior.

Há aqueles que classificam o cantor como músico caipira, apontando as composições "Tocando em Frente" e "Um Violeiro Toca" - ambas feitas em parceria com Almir Sater - como grandes exemplos disso; outros, porém, classificam a obra do músico como MPB, apontando como grande marca de sua carreira "Romaria", canção que ganhou projeção nacional na voz de Elis Regina.

O que nem todos vislumbram é que tanto a face caipira como a MPB compõe a totalidade do artista Renato Teixeira, que também é um dos nossos maiores representantes do estilo folk, que em sua raiz pode ser classificada como a música que reflete as tradições culturais de um povo - no caso, o brasileiro.

E foi esse músico folk, que não pode ser dissociado da MPB ou da música caipira - ambas patrimônios culturais do País -, que se apresentou durante esse final de semana no Teatro FECAP, acompanhado dos filhos Chico e João Teixeira (viola e baixo, respectivamente) e do amigo Dudu Portes na bateria.

Logo nas primeiras canções o cantor tocou a famosa "Amanheceu, Peguei a Viola", e ditou o ritmo do show com histórias curiosas e observações engraçadas, como a do sotaque caipira de "pórta" e "pôrtera", antes de tocar a canção "Margarida".

Elogiando a acústica do Teatro FECAP e a proximidade do público, Renato Teixeira tocou "A Dor da Saudade" e "Lá No Pé da Serra", ambas do compositor Elpídio dos Santos, avançando com "Cuitelinho", de Paulo Vanzolini.

"Vamos gravar um DVD. Ele ainda não saiu por diversos motivos, tem uma música que não terminei a letra ainda. Mas eu canto assim mesmo", contou o músico. "Quando chega na parte sem letra eu falo um lalaia." A canção em questão era "Mestra Rainha", uma homenagem as mulheres do Brasil.

A explicação de "Touareg Nordestino" também arrancou risos da plateia. De acordo com Renato, a letra foi enviada ao amigo Xangai, na expectativa que ele musicasse a composição. O tempo passou e o autor resolveu ligar para o amigo na Bahia, para saber o que havia acontecido.

"Já faz 8 anos Xangai", disse Renato, ouvindo do outro lado da linha o amigo dizer que havia perdido a letra. "Acabei colocando a música eu mesmo", contou.

A relação com os filhos também rendeu bons momentos. "Tocar com os filhos é muito bom. Parei de dar mesada e passei a pagar cachê", entregou o patriarca antes de fazer o dueto com Chico Teixeira, na versão que fizeram para a música "Father and Son", de Cat Stevens.

Enquanto nos shows de sexta-feira e sábado Renato Teixeira recebeu Dudu Portes e Zé Geraldo, respectivamente, no show de encerramento dessa curta temporada o músico contou com a presença especial de Sérgio Reis.

"O Renato sempre compôs canções lindas para a gente, mas 'Romaria' ele deu pra Elis Regina", contou o amigo antes de atender a um pedido de Renato Teixeira e cantar "Filho Adotivo".

Para fechar a "família Teixeira", acompanhada de Sérgio Reis, tocou "Um Violeiro Toca", "Tocando em Frente", "Romaria" e "O Menino da Porteira".

    Leia tudo sobre: renato teixeirasérgio reis

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG