Remasterização tráz REM de volta às rádios

Novas edições dos 3 primeiros discos da banda trazem de volta o fôlego do início da carreira

EFE |

Divulgação
Foto de divulgação do REM no início da carreira: Michael Stipe, Mike Mills, Bill Berry e Peter Buck
No início dos anos 80, o REM fez carreira com três álbuns cheios de sons de guitarras e letras obscuras, relançados recentemente em nova edição remasterizada com materiais inéditos de gravações da banda americana feitas naquela época.

As novas edições de Murmur (1983), Reckoning (1984) e Fables of the Reconstruction (1985) trazem de volta o fôlego do início de carreira do grupo, que se tornaria uma das bandas mais famosas e influentes das últimas décadas. A escalada culminou em 1991, com o lançamento do álbum Out of Time - que continha a lendária "Losing My Religion" -, 10 anos depois de sua estreia.

No verão de 1981, quatro meninos de Athens, uma pequena cidade do estado americano da Geórgia, se reuniram em um pequeno estúdio caseiro para gravar "Radio Free Europe", lançado depois como single em edição que mal chegou às mil cópias. Entretanto, era uma canção irresistível, mesmo assim, e que fazia sua fama nos circuitos independentes do rock alternativo. Não demorou muito para que "Radio Free Europe" chamasse a atenção do selo I.R.S., que lançou o primeiro álbum do grupo formado pelo vocalista Michael Stipe, o guitarrista Peter Buck, o baixista Mike Mills e o baterista Bill Berry.

27 anos depois do lançamento, Murmur mantém intacto aquele seu frescor e a capacidade de seduzir com músicas como "Catapult", "Shaking Through" ou "We Walk", que ganharam mais intensidade nessa cuidadosa versão remasterizada. O álbum continua sendo um dos sucessos do REM, e volta e meia é citado como um dos melhores álbuns não só daquela época, mas de toda a história do rock. A edição especial do disco de estreia da banda norte-americana inclui, além disso, um CD com um show inédito gravado no Larry's Hideaway (Toronto), em 1984.

Getty Images
Peter Buck (esquerda) durante show em Nova York: guitarrista defende estranheza de Fables of the Reconstruction
" Murmur é simplesmente um álbum brilhante", escreveu o desenhista da capa do disco, Carlos Grasso, nas notas que acompanham a edição remasterizada, junto das opiniões dos dois produtores do LP, Mitch Easter e Don Dixon. Um ano após sua brilhante estreia, o REM lançou Reckoning , consolidando suas idéias com algumas das canções mais memoráveis de sua carreira, como "So. Central Rain (I'm Sorry)" e "(Don't Go Back To) Rockville". A reedição de Reckoning também vem com um CD extra, dessa vez com uma apresentação - também inédita e com uma qualidade mais que aceitável - feita pela banda no Aragon Ballroom (Chicago), em julho de 1984.

O relançamento dos primeiros álbuns do REM é fechada com Fables of the Reconstruction , que ganhou versão especial esta semana, celebrando os 25 anos de lançamento. O terceiro álbum vem com um CD de 14 faixas. A maioria corresponde a temas abordados no disco, mas há algumas gravações raríssimas, como "Throw Those Trolls Away", que até hoje não havia sido lançada. As canções de Fables of the Reconstruction , assim como as dos singles "Driver 9" e "Can't Get There from Here", eram menos diretas que as dos outros dois discos, mas as composições ampliaram o horizonte do grupo, cujo guitarrista defende com veemência esse álbum "denso". "É um dos meus álbuns favoritos, e eu estou verdadeiramente orgulhoso de quão estranho ele é. Só o REM poderia tê-lo gravado", declara Peter Buck nas notas da edição especial do disco.

    Leia tudo sobre: REM

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG