Rap e Lady Gaga são objetos de estudo nos Estados Unidos

Universidades oferecem cursos ministrados por rappers e com abordagem sociológica do mundo da música

EFE |

A volta às aulas começa nos Estados Unidos e as escolas buscam novas propostas para atrair estudantes, como cursos de "Religião e hip-hop" ministrados por rappers e DJ's e seminários com temas diversos, entre os quais o sucesso da cantora Lady Gaga .

Getty Images
Sucesso meteórico da cantora Lady Gaga vira tema de curso sobre sociologia e cultura da fama
O rapper Bun B, membro do duo UGK, decidiu combinar sua paixão pela música com as aulas, desta vez não como aluno, mas como professor. Bun B, junto de outros dois professores do departamento de Humanidades e Estudos Religiosos da Universidade Rice de Houston, no Texas, vai ministrar um seminário sobre religião e cultura hip-hop.

O objetivo é ensinar que a música moderna não está brigando com a religião e pode servir de apoio para os jovens, que através das letras "feitas pelos rappers" questionam o significado da vida, detalha o manual do curso. "Estamos mostrando casos nos quais o hip-hop e a religião têm os mesmos objetivos e uma ideologia comum no contexto da cultura", explicou o rapper.

Entre os temas em discussão pelos alunos está a ética do hip-hop e se o rap deveria ser incluído na música eclesiástica para atrair aos jovens, como consta no conteúdo programático do curso, disponível no site da Universidade.

Siga o iG Cultura no Twitter

Não como professora, mas como alvo de estudo, Lady Gaga ganha espaço nas salas de aula e serve de exemplo de sucesso repentino e tendência entre os jovens, cita o professor Mathieu Deflen, da Universidade da Carolina do Sul. No curso intitulado "Lady Gaga e a sociologia da fama" Deflen analisa o que está por trás da artista e como ela se transformou em um fenômeno de massas, a partir de um ponto de vista sociológico.

"Isto não é um curso de música e estudos culturais. Este curso está centrado nos contextos sociais da ascensão de Lady Gaga à fama (...) a partir de uma perspectiva acadêmica que se baseia nas tradições teóricas da sociologia. Não é um curso sobre Lady Gaga, mas sobre sociologia e cultura da fama, como mostra a carreira da cantora", acrescenta o professor na apresentação de sua disciplina, na qual deixa claro que não haverá vídeos musicais e nem se ouvirá música da artista nas salas de aula.

Outras instituições, como a Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA), somaram a sua oferta acadêmica disciplinas como "História da música eletrônica", uma opção que abrange desde os inícios nos anos 60, com a música dance, até se transformar em um novo gênero e suas vertentes. Já o Centro de Artes Oberlin da Universidade, de Ohio, oferece um semestre para aprender a ser DJ profissional, no qual os professores ensinam como utilizar as bases musicais para mixar e técnicas que exigem habilidade, como o "scratching" (girar discos de vinil com as mãos).

    Leia tudo sobre: músicaraplady gaga

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG