Pública lança CD incrementando o rock básico

Vocalista Pedro Metz fala sobre gravações e expectativas

Juliana Zambelo |

O primeiro disco ¿ Polaris ¿ saiu no final 2006 e colocou o Pública na posição de uma das principais promessas do rock nacional. Pouco mais de dois anos depois, a banda gaúcha está de volta com seu segundo trabalho de estúdio driblando as expectativas pessoais de seus integrantes e cheia de planos de trabalho e crescimento.

O disco, chamado Como Num Filme Sem um Fim , traz o rock direto já mostrado anteriormente, mas enriquece na produção mais cuidadosa. Lançado pelo selo Olelê Music, o trabalho foi gravado em um sítio no interior do Rio Grande do Sul durante apenas 11 dias. O afastamento da agitação de Porto Alegre, já experimentado na estreia, traz uma oportunidade de vivermos exclusivamente em função da nossa música, o que na cidade seria impossível, conta o vocalista Pedro Metz.

Metz, que também toca guitarra rítmica, "Guri" Assis Brasil (guitarra líder), João Amaro (pianos e rhodes), Cachaça (bateria) e Guilherme Almeida (baixo) formaram o Pública em 2001 sob influência do rock britânico de Stones a The Cure passando por Oasis e um toque dos sons independentes americanos. Mas são os detalhes, como os arranjos de cordas e metais, que chamam a atenção em Como Num Filme Sem um Fim .

No primeiro álbum, queríamos soar como nós mesmos, sem arranjos extras. Porém somos admiradores de sopros e cordas. Estudamos bastante para ver em quais músicas estes elementos se encaixariam melhor. E eles estão nos sopros em Sessão da Tarde e nos violinos e cello da faixa que dá nome ao álbum.

Antes de seu lançamento oficial, o álbum já estava disponível para audição na Internet. E mesmo agora, com o CD nas lojas, é possível baixar o trabalho completo na página oficial da banda . Para tornar o disco físico essencial para todos os fãs, Como Num Filme Sem um Fim está nas lojas acompanhado de um DVD extra contendo o documentário Casa da Esquina 23. O filme de 70 minutos registrou de perto os bastidores da gravação do álbum.

A idéia surgiu quando estávamos editando um vídeo clipe na Baxada Nacional, produtora do documentário. Faltava um mês para começarmos as gravações e eles se interessaram em captar o processo, revela o vocalista. Para ele, a presença de equipe de filmagem no estúdio não interferiu na dinâmica dos gaúchos. Até deu uma motivação a mais, parece que existe uma platéia vendo tu trabalhar.

Com o disco nas lojas e a imprensa a favor, o Pública segue em 2009 sem pensar em descansar. Os planos? Divulgar o disco, viajar com a banda e gravar uns três clipes ainda este ano. Tomara que dê para fazer tudo que queremos.

Para baixar e ouvir Como Num Filme Sem um Fim na íntegra, visite a página oficial do Pública .

    Leia tudo sobre: pública

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG