Premiação homenageia Dona Ivone Lara

Teatro Municipal do Rio recebe hoje o 21º Prêmio de Música Brasileira

Agência Estado |

Divulgação
Dona Ivone Lara abre o prêmio à noite
Amigos, parceiros e devotos vão reunir-se hoje no palco mais nobre do Rio, o do Teatro Municipal, para cantar e reverenciar um ícone do samba carioca, Dona Ivone Lara. A dama de Madureira, 89 anos e na ativa, é a artista homenageada pelo Prêmio de Música Brasileira, que em sua 21ª edição percorrerá alguns de seus grandes sucessos, nas vozes de intérpretes como Caetano Veloso ("Acreditar"), Lenine ("Alguém Me Avisou") e Maria Gadú ("Força da Imaginação").

A noite não é somente de tributo, mas de disputa também, e entre os mais indicados estão medalhões como Maria Bethânia (pelos CDs Encanteria e Tua ), Ney Matogrosso ( Beijo Bandido ), Caetano Veloso (que desta vez foi incluído na categoria pop/rock/reggae/hip hop/funk, e não MPB, com Zii e Zie ), e iniciantes, caso do grupo carioca formado na Lapa Galocantô (concorrente como melhor grupo de samba) e Patricia Mellodi (como melhor cantora de canção popular).

Os 21 jurados (compositores e jornalistas) analisaram 695 CDs e 103 DVDs, incluindo lançamentos independentes, encaixados em 16 categorias. Criado pelo produtor José Maurício Machline, é o prêmio mais abrangente do País. Este ano, Machline voltou ao Municipal, já que pôde contar com patrocínio – da Vale; ano passado, fez tudo apenas com a ajuda dos amigos da área de shows.

Para Dona Ivone, o momento é de deleite. "É muito bom a gente poder ser reconhecida por nossa obra em vida, e ainda por cima poder assistir a uma homenagem como essa, no prêmio de música mais importante do Brasil", diz a sambista, que não para, apesar de ter operado uma perna no fim de 2009 e estar se apresentando sentada. Esta noite, Dona Ivone Lara abre o prêmio cantando "Sorriso Negro", sucesso de 30 anos atrás.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG