Pink Floyd processa EMI por vendas na internet

Grupo gravadora à Justiça por discordar da venda de suas músicas na web

EFE |

O grupo de rock Pink Floyd decidiu levar a gravadora EMI à Justiça por discordar da venda de suas músicas na internet.

A banda, cujo álbum "Dark side of the moon" continua sendo um dos mais vendidos do mundo, não quer que a EMI venda músicas avulsas de sua autoria na rede. Por isso, já entrou com uma ação contra a gravadora em um tribunal de Londres.

O advogado do grupo, Robert Howe, disse que Nick Mason, Syd Barrett, David Gilmour, Roger Waters e Richard Wright "querem saber exatamente" que compromissos são obrigados a honrar a partir do contrato atual com a EMI, com a qual mantêm uma relação de mais de 40 anos.

Howe disse que o acordo contratual existente inclui uma cláusula que "proíbe de maneira expressa" a venda de canções, de maneira física ou através da rede, "de outra maneira que não a da configuração original", ou seja, como está nos álbuns.

A gravadora, por sua vez, argumenta que essa proibição "se aplica só ao caso do produto físico e não diz respeito ao produto online", algo que, segundo manifestou o advogado de Pink Floyd, "não faz sentido do ponto de vista comercial".

    Leia tudo sobre: emipink floyd

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG