Partido islâmico da Malásia quer impedir show de Elton John

Segundo religiosos, o cantor britânico, homossexual assumido, promove o hedonismo, que "não é bom no islã"

AFP |

Membros de um partido islâmico de oposição na Malásia pediram nesta terça-feira (25) o cancelamento de um show de Elton John, programado para o próximo mês, sob a alegação de que o cantor promove o hedonismo.

Shahril Azman Abdul Halim Al Hafiz, dirigente do Partido Islâmico da Malásia (PAS), afirmou que a apresentação, prevista para 22 de novembro no balneário de Genting Highlads, poderia corromper os jovens muçulmanos pela homossexualidade do músico.

Siga o iG Cultura no Twitter

"Isto não é bom. No islã, a homossexualidade é proibida. Ele está promovendo o hedonismo. O hedonismo não é bom no islã", disse à AFP.

O músico britânico, que nunca escondeu a homossexualidade, é casado desde 2005 com David Furnish, quando as uniões civis de pessoas do mesmo sexo foram legalizadas na Grã-Bretanha. No final de 2010, ele anunciou o nascimento de seu filho , concebido através de uma barriga de aluguel.

O PAS sempre protesta antes de shows de artistas ocidentais, alegando que promovem um estilo de vida promíscuo e corrupto. Os espetáculos, no entanto, geralmente acontecem sem incidentes, mas os artistas devem observar regras estritas, como evitar a exposição de partes do corpo ou beijos no palco.

    Leia tudo sobre: elton johnmalásia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG