Pai de Amy Winehouse quer criar fundação contra o vício em drogas

Mitch Winehouse ganha apoio de congressista britânico para entidade que terá o nome de sua filha

iG São Paulo com agências |

Mitch Winehouse, pai da cantora Amy Winehouse, encontrada morta no sábado (23) em sua casa, anunciou que deseja criar uma fundação com o nome de sua filha para ajudar os dependentes de álcool e drogas a combater o vício.

"Se a pessoa não tem como pagar o tratamento em uma clínica privada, há uma lista de espera de dois anos para quem precisa de ajuda", explicou nesta terça-feira (26) após o funeral da filha em Londres.

Siga o iG Cultura no Twitter

A fundação de Winehouse ganhou o apoio do congressista britânico Keith Vaz, que prometeu ajudar no possível para a criação da entidade. "Me sinto feliz de poder colaborar com Mitch nesta importante campanha para reabilitar as pessoas vulneráveis de nossa sociedade", declarou.

Segundo Mitch, Amy estava há três semanas sóbria. "Pai, não estou aguentando, não quero mais encarar você e todos da família deste jeito", teria dito a cantora sobre sua intenção de largar o vício. "Saber que ela não estava depressiva, que ela... morreu feliz, isso nos nos deixa melhor", declarou o pai da cantora.

Familiares e amigos se despediram da cantora durante uma cerimônia de 45 minutos no cemitério de Edgwarebury, no norte de Londres, nesta terça-feira (26). Entre 300 e 400 pessoas participaram da cerimônia privativa, segundo o amigo da família Alfie Ezekiel.

Os convidados incluíam o produtor musical Mark Ronson (um dos responsáveis pelo álbum "Back To Black", de Amy) e a cantora Kelly Osbourne que, assim como outras pessoas, chegou ao funeral com o penteado característico de Amy Winehouse.

Acesse o especial Amy Winehouse

Ao final das homenagens, foi tocada a música "So Far Away", da cantora americana Carole King. Após a cerimônia, o corpo da cantora seguiu para o crematório Golders Green. Ainda na terça, os convidados se reuniram em uma sinagoga em no norte de Londres.

A polícia de Londres declarou que a autópsia realizada no corpo da cantora não revela a causa de morte . Em carta aberta, foi divulgado que novos exames toxicológicos serão feitos e o resultado ficará pronto entre duas e quatro semanas.

*AFP, BBC Brasil e EFE

    Leia tudo sobre: GBmúsicagentemorte

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG