Otto expia suas dores em novo álbum

Certa Manhã Acordei de Sonhos Intranquilos é primeiro disco do cantor em seis anos

Augusto Gomes, iG São Paulo |

Certa Manhã Acordei de Sonhos Intranquilos é o primeiro álbum de Otto em seis anos. Nesse período ("uma fase difícil", nas suas próprias palavras), o cantor pernambucano se separou da mulher, a atriz Alessandra Negrini, e perdeu a mãe. Ainda brigou com sua gravadora, tanto que a gravação deste disco foi bancada por ele mesmo. Estava morando num hotel, sem dinheiro, desacreditado. Como bom artista que é, transformou essa dor em material para um grande álbum, um dos melhores discos brasileiros da década.

A primeira faixa, "Crua", já dá o tom do que vem pela frente. "Dificilmente se arranca lembrança (...) / Por isso da primeira vez doi / Por isso não se esqueça: doi", canta. As dores continuam em "6 Minutos" ("Nasceram flores num canto de um quarto escuro / Mas eu te juro, são flores de um longo inverno") e "Saudade" (Saudade quero ver pra crer, saudade de te procurar / Na vida tudo pode acontecer, partir e nunca mais voltar").

Até as canções que não foram escritas por Otto têm esse tom dolorido. É o caso de "Lágrimas Negras", obra-prima de Jorge Mautner e Nelson Jacobina lançada por Gal Costa em 1974. "A luz negra dos seus olhos / Lágrimas negras caem / Saem, doem", lamenta. Em "Naquela Mesa" (de Sérgio Bittencourt, filho de Jacob do Bandolim), a saudade dá o tom: "Se eu soubesse o quanto doi a vida / Essa dor tão doída não doía assim".

O próprio Otto admite que compor "é uma terapia". E assim, expondo-se com franqueza, ele vai tratando de sua dor (o título Certa Manhã Acordei de Sonhos Intranquilos , tirado do livro "A Metamorfose", de Franz Kafka, dá inclusive uma ideia de superação). A faixa "Filha" é um bom exemplo de como funciona o processo: "Aqui é festa amor / E há tristeza em minha vida".

O cantor vem acompanhado de uma ótima banda, formada por Fernando Catatau (cérebro da banda Cidadão Instigado, na guitarra) e mais o baterista Pupilo e o baixista Dengue, da Nação Zumbi. Ainda há participações especiais das cantoras Céu ("O Leite") e Julieta Venegas ("Lágrimas Negras" e "Saudade"). Ele lança o disco com shows no Rio de Janeiro (Circo Voador, 06/03) e São Paulo (Auditório Ibirapuera, 12 e 13/03).

    Leia tudo sobre: otto

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG