Obama homenageia Bob Dylan e Joan Baez

Artistas foram trilha sonora de luta por direitos civis, diz presidente americano

AFP |

O presidente Barack Obama homenageou os artistas americanos responsáveis pela "trilha sonora" da luta pelos direitos civis na década de 1960, em especial Bob Dylan e Joan Baez, ao discursar na noite de terça-feira antes do início de uma apresentação comemorativa na Casa Branca.

"O movimento dos direitos civis era um movimento sustentado pela música, os 'spirituals', inspirada pela Bíblia, e marcado pelas canções de protesto sobre as injustiças que deviam ser corrigidas", afirmou o primeiro presidente negro dos Estados Unidos.

"O movimento foi ampliado por artistas folk como uma filha nova-iorquina de imigrantes e um jovem trovador de Minnesota, que souberam captar as dificuldades e as esperanças das pessoas que não eram governadas da mesma maneira, como apenas as canções podem fazer", completou, em referência a Joan Baez e Bob Dylan.

"Foi um movimento que teve uma trilha, que não estava inspirada apenas pelo movimento, mas que o inspirou e estimulou. Joan Baez e Bob Dylan sabiam quando, em um dia de 1963, se uniram a centenas de milhares de pessoas em Washington, onde o reverendo Martin Luther King organizou o fim de sua marcha pelos direitos civis", destacou.

Além de Bob Dylan e de Joan Baez, atualmente com 68 e 69 anos respectivamente, a apresentação de terça-feira teria ainda as participações de Natalie Cole, Jennifer Hudson, John Legend, Smokey Robinson e Seal. Os Estados Unidos celebram em fevereiro a história da comunidade negra.

    Leia tudo sobre: bob dylanjoan baez

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG