"Não sou um DJ de trance", garante Paul Van Dyk, atração do Creamfields

Alemão é um dos destaques da edição brasileira do festival, que acontece dia 21 em Florianópolis

Augusto Gomes, iG São Paulo |

Divulgação
Paul Van Dyk
Paul Van Dyk não tem muitos motivos para se irritar. O alemão é, há 15 anos, um dos DJs mais populares do planeta. Também acaba de finalizar seu novo disco e, dentro de uma semana, toca em um de seus lugares favoritos no planeta, o Brasil. Mas há uma coisa que deixa o músico contrariado: classificar sua música como trance.

"Não sou um DJ de trance, por mais que as pessoas me rotulem assim", afirma. "Claro, minha música tem elementos de trance. Mas também tem um pouco de tecno, de house, de várias coisas". Por isso, ele prefere definir seu som de uma maneira mais simples. "É música eletrônica e só", resume.

Van Dyk é uma das principais atrações da edição brasileira do festival Creamfields, que acontece no próximo dia 21 no Stage Music Park, em Florianópolis. Além dele, o evento terá nomes como os britânicos Fatboy Slim e Layo & Bushwacka e os alemães Tiefschwarz e Ellen Alien, entre outros.

O set incluirá canções do próximo disco de Van Dyk. "Ele se chama 'Evolution' e será lançado em março", adianta. Assim como acontece com sua música em geral, ele também prefere não definir esse novo trabalho. "Para mim, é difícil falar sobre minha música. Mas eu diria que o álbum é uma evolução lógica do que eu fiz no passado."

Getty Images
Paul Van Dyk
"Evolution" será o sexto álbum de Van Dyk - o primeiro, "45 RPM", saiu em 1994. Desde então, ele é um dos DJs mais bem-sucedidos do planeta. Uma das maiores amostras dessa popularidade aconteceu justamente no Brasil, quando ele reuniu 1 milhão de pessoas na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, para um show no reveillón de 2009.

É um cenário bem diferente de quando o DJ iniciou sua carreira, há 20 anos. "A música eletrônica começou como uma subcultura bem pequena. Hoje, é algo gigantesco", conta. "Obviamente, quando algo faz tanto sucesso, é inevitável aparecerem produtores fazendo coisas pop e bregas."

Quem são esses artistas pop e bregas? Van Dyk prefere não citar nomes. "Para ser honesto, não ligo para eles. Eles não fazem a música que eu faço, nem a música que eu quero fazer e muito menos a música que eu quero comparar com a minha", afirma. "Afinal, não faço música para entrar no top 40 mesmo."

Além do Creamfields, Van Dyk fará mais uma apresentação no Brasil. Será na sexta-feira (20), em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo. O outro headliner do festival, Fatboy Slim, também tem uma agenda cheia no Brasil: também tocará no Rio de Janeiro (quinta, 19), Brasília (sexta, 20), São Paulo (terça, 24), Campo Grande (sexta, 27) e Belo Horizonte (sábado, 28).

Festival Creamfields 2012
Stage Music Park (Florianópolis)
Sábado (21), das 18h até as 6h do domingo (22)
Ingressos: R$ 90 (pista), R$ 150 (área vip feminino) e R$ 200 (área vip masculino)
Capacidade: 16 mil pessoas
Censura: 16 anos
Informações: 48 3282.1669 e contatostage@musicpark.com.br
Vendas: www.blueticket.com.br

    Leia tudo sobre: Paul Van DykFatboy SlimCreamfieldsmúsica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG