I Da Lama ao Caos /I - Música - iG" /

Nação Zumbi festeja 15 anos de I Da Lama ao Caos /I

Banda comemorou aniversário do álbum que deu origem ao Mangue Beat com show em São Paulo

Augusto Gomes |

"Não foi ontem, mas também não faz tanto tempo assim. Foi anteontem". Com essas palavras, o vocalista da Nação Zumbi, Jorge du Peixe, definiu o aniversário de 15 anos do álbum de estreia da banda, Da Lama ao Caos . O disco, marco inicial daquilo que foi então chamado de mangue beat, é um dos mais importantes da história da música brasileira. E recebeu uma homenagem à altura na última sexta-feira, no Citibank Hall, em São Paulo.

Fotoshow: veja fotos da Nação Zumbi ao vivo no Citibank Hall

O grupo pernambucano tocou todas as canções do álbum. Incluindo, é claro, os já clássicos "Da Lama ao Caos", "A Cidade", "A Praieira" e "Samba Makossa", cantados em uníssono por um público bastante animado. A apresentação foi repleta de participações especiais: primeiro, o também pernambucano Otto; depois, o rapper B Negão; e, para finalizar, outro nome chave do Mangue Beat, Fred Zero4, líder da banda Mundo Livre S/A.

Durante toda a noite, pairou no ar a presença de Chico Science. Fundador da Nação Zumbi, cabeça por trás de Da Lama ao Caos e da mistura de tradição e modernidade que é o mangue beat, o cantor (morto em 1997 num acidente de carro, no auge do sucesso) foi o grande homenageado da noite. Não só pelos artistas, mas principalmente pelo público, que gritou seu nome antes da apresentação começar.

Depois de apresentar as canções de seu disco de estreia, a Nação ainda tocou mais algumas músicas, como"Manguetown" e "Blunt of Judah". A performance terminou com uma incendiária versão de "Purple Haze", de Jimi Hendrix. É que, naquela mesma noite, completavam-se 39 anos da morte do músico, segundo informou o guitarrista da Nação, Lucio Maia. Já passava das 2h30 da madrugada, mas mesmo assim o público ainda pedia mais.

Além da atração principal, a noite ainda teve a presença de Guizado, grupo capitaneado pelo trompetista Guilherme Mendonça, e Ortinho, ex-vocalista do Querosena Jacaré. O primeiro fez uma ótima apresentação, misturando músicas do disco Punx com inéditas que estarão num álbum a ser lançado em 2010. Ortinho também mostrou algumas novidades que compôs com Arnaldo Antuntes e Marcelo Jeneci. O show ainda teve participações de Daniel Belleza e Junio Barreto.

    Leia tudo sobre: nação zumbi

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG