Banda comemorou aniversário do álbum que deu origem ao Mangue Beat com show em São Paulo

"Não foi ontem, mas também não faz tanto tempo assim. Foi anteontem". Com essas palavras, o vocalista da Nação Zumbi, Jorge du Peixe, definiu o aniversário de 15 anos do álbum de estreia da banda, Da Lama ao Caos . O disco, marco inicial daquilo que foi então chamado de mangue beat, é um dos mais importantes da história da música brasileira. E recebeu uma homenagem à altura na última sexta-feira, no Citibank Hall, em São Paulo.

Fotoshow: veja fotos da Nação Zumbi ao vivo no Citibank Hall

O grupo pernambucano tocou todas as canções do álbum. Incluindo, é claro, os já clássicos "Da Lama ao Caos", "A Cidade", "A Praieira" e "Samba Makossa", cantados em uníssono por um público bastante animado. A apresentação foi repleta de participações especiais: primeiro, o também pernambucano Otto; depois, o rapper B Negão; e, para finalizar, outro nome chave do Mangue Beat, Fred Zero4, líder da banda Mundo Livre S/A.

Durante toda a noite, pairou no ar a presença de Chico Science. Fundador da Nação Zumbi, cabeça por trás de Da Lama ao Caos e da mistura de tradição e modernidade que é o mangue beat, o cantor (morto em 1997 num acidente de carro, no auge do sucesso) foi o grande homenageado da noite. Não só pelos artistas, mas principalmente pelo público, que gritou seu nome antes da apresentação começar.

Depois de apresentar as canções de seu disco de estreia, a Nação ainda tocou mais algumas músicas, como"Manguetown" e "Blunt of Judah". A performance terminou com uma incendiária versão de "Purple Haze", de Jimi Hendrix. É que, naquela mesma noite, completavam-se 39 anos da morte do músico, segundo informou o guitarrista da Nação, Lucio Maia. Já passava das 2h30 da madrugada, mas mesmo assim o público ainda pedia mais.

Além da atração principal, a noite ainda teve a presença de Guizado, grupo capitaneado pelo trompetista Guilherme Mendonça, e Ortinho, ex-vocalista do Querosena Jacaré. O primeiro fez uma ótima apresentação, misturando músicas do disco Punx com inéditas que estarão num álbum a ser lançado em 2010. Ortinho também mostrou algumas novidades que compôs com Arnaldo Antuntes e Marcelo Jeneci. O show ainda teve participações de Daniel Belleza e Junio Barreto.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.