Músicas macabras para a trilha da Sexta-Feira 13

Uma seleção de canções sinistras para uma data sinistra

Redação iG Música |

É bom você se preparar: em 2009, o calendário terá duas sextas-feiras 13. A primeira é logo amanhã. Para acompanhar essa data que muitos consideram sinistra, preparamos uma seleção de músicas igualmente sinistra. Lobisomens, vampiros, fantasmas e psicopatas dão o tom da trilha sonora. Veja abaixo:

"Thriller", Michael Jackson
Houve uma época em que Michael Jackson tentava assustar com suas músicas e clipes, e não com o excesso de plásticas. A música, é claro, é "Thriller", mesmo nome de seu disco de maior sucesso. O clipe da canção foi lançado em 1984 e, na época, era então o mais caro vídeo de todos os tempos. Michael virava um lobisomem e era acompanhado por um exército de zumbis dançarinos. Atualmente, isso pode não colocar medo em mais ninguém, mas que marcou época, marcou.

"I Was a Teenage Werewolf", The Cramps
O recém-falecido Lux Interior (vocal) e sua mulher, Poison Ivy (guitarra), líderes do Cramps, eram fãs dos filmes de terror baratos produzidos nos anos 1950. Tanto que fizeram várias músicas baseadas nessas produções. Uma das melhores é "I Was a Teenage Werewolf", destaque do primeiro álbum do grupo. A letra trata das dificuldades de um lobisomem adolescente para arranjar uma namorada. O terror aqui é para rir, não assustar. 

"The Number of the Beast", Iron Maiden
O refrão "Six six six, the number of the beast / six six six, the one for you and me" ("meia meia meia, o número da besta / meia meia meia, aquele para mim e para você") é um dos mais famosos não apenas do Iron Maiden, mas de todo o rock. A letra, como já deu para perceber, descreve a chegada do Anticristo à Terra: "I'm coming back, I will return / And I'll possess your body and I'll make you burn" (a ameaça em português é assim: "Eu estou voltando, vou retornar / E vou possuir seu corpo e fazê-lo queimar").

"Helter Skelter", The Beatles
A faixa, presente no álbum branco do quarteto de Liverpool, está longe de ser um dos maiores sucessos dos Beatles. Mas é, sem dúvida, a canção mais violenta que a banda já gravou. Tanto que, diz a lenda, serviu de inspiração para o maníaco Charles Mason assassinar a atriz Sharon Tate, então grávida de oito meses, e outras quatro pessoas num ritual satânico. Para quem acha que os Beatles fizeram apenas canções doces e românticas como "I Wanna Hold Your Hand", "Helter Skelter" é um soco no estômago.

"Dead Babies", Alice Cooper
Alice Cooper ficou conhecido, no início dos anos 1970, por seus shows cheios de sangue cenográfico, guilhotinas falsas e enforcamentos de mentirinha. O auge desse estilo macabro é o álbum Killer , de 1971. Há músicas sobre condenados no corredor da morte e motoristas psicopatas, entre outras. Mas o ponto alto é "Dead Babies", que trata de um tema singelo: bebês mortos. Para tornar tudo ainda mais sinistro, há vozes de crianças chorando ao fundo.

"Sympathy for the Devil", Rolling Stones
Mick Jagger e companhia já eram conhecidos por sua ousadia. Nessa música de 1968, eles se superaram, tanto na música como na letra. Ao som de batuques (diz a lenda, inspirados numa visita a um terreiro de candomblé feita durante uma viagem ao Brasil), conta a história de demônio que é um "homem de riqueza e bom gosto" ("a man of wealth and taste"), que "roubou a alma e a fé de muitos homens" e ainda foi o responsável pelo lavar de mãos de Pilatos, a morte da família real russa e o assassinato dos Kennedys. Se os Stones queriam consolidar a fama de bad boys, conseguiram.

"Me and the Devil Blues", Robert Johnson
Diz a lenda que o bluesman Robert Johnson vendeu a alma ao diabo numa encruzilhada, em troca de sucesso. Se a história é verdadeira ou não, nunca vamos saber - mas não é que o homem fez uma música sobre o assunto? "Early this morning, when you knocked upon my door / I said 'hello Satan, I believe it's time to go", conta a letra (traduzindo: "Hoje cedo, quando você bateu à minha porta / Eu disse 'oi Satã, acho que é hora de ir"). Johnson morreu em 1938, com apenas 27 anos, depois de beber uísque envenenado. Assustador...

"Bela Lugosi's Dead", Bauhaus
Só por ser o primeiro single da primeira das bandas góticas, "Bela Lugosi's Dead" já mereceria um lugar entre as dez canções mais macabras da história. O Bela Lugosi do título é o ator que interpretou o papel título do filme "Drácula", de 1931. "The bats have left the bell tower / The victims have been bled / Red velvet line the black box / Bela Lugosi's dead" ("Os morcegos deixaram a torre do sino / As vítimas já sangraram / Veludo vermelho demarca a caixa preta / Bela Lugosi está morto"), diz a atmosférica letra, sob um fundo sonoro cheio de guitarras distorcidas.

"Black Sabbath", Black Sabbath
A banda mais macabra de todos os tempos não poderia ficar de fora dessa lista. Essa é a música que abre o álbum de estréia do grupo, lançado em 1969. Barulhos de chuva, ventos e sinos criam o clima para a letra que descreve em detalhes o inferno. "Satan sitting there, he's smiling / Watches those flames get higher and higher / Oh no, please God help me!" (traduzindo: "Satã está sentando, sorrindo / Olhando as chamas ficarem maiores e maiores / Oh não, Deus me ajude!"). Quem diria que, um dia, o autor dessa letra, Ozzy Osbourne, viraria estrela de um reality show...

"Romance de uma Caveira", Alvarenga e Ranchinho
Não poderia faltar um representante nacional na lista. O Brasil pode não ter muita tradição em músicas sobre mortos, monstros e afins, mas a dupla sertaneja Alvarenga e Ranchinho, formada nos anos 1930, tem um clássico do tema. É a canção "Romance de uma Caveira". Veja só a letra: "Eram duas caveiras que se amavam / E à meia-noite se encontravam / Pelo cemitério os dois passeavam / E juras de amor então trocavam".

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG