Mötley Crüe ignora passagem do tempo em show no Brasil

Banda americana fez apresentação única no Credicard Hall, em São Paulo

Augusto Gomes, iG São Paulo |

Jorge Rosenberg, especial para o iG
Vince Neill, vocalista do Mötley Crüe
Envelhecer com dignidade no mundo do rock não é fácil. Afinal, é o gênero musical que, desde a época de Elvis Presley, está ligado à juventude e tem como lemas frases como "I hope I die before I get old" ("Espero morrer antes de ficar velho", trecho da letra de "My Generation", do The Who).

Há quem ignore essa tradição e assuma a idade sem maiores traumas - Paul McCartney ou Neil Young, por exemplo, não tentam disfarçar suas muitas décadas de vida. Mick Jagger e Iggy Pop, pelo contrário, ainda tentam passar por jovens mesmo se aproximando dos 70 anos.

Essa relação conflituosa entre rock e envelhecimento também esteve presente no show que o Mötley Crüe fez nesta terça-feira (17) no Credicard Hall, em São Paulo. A banda, formada em 1981, é conhecida por representar algumas das características mais adolescentes do rock'n'roll: mulheres, álcool, diversão. Veja imagens da apresentação no Fotoshow .

Trinta anos depois de lançar seu primeiro disco, o quarteto continua agindo como se o tempo não tivesse passado. A maquiagem e o gel no cabelo, é verdade, estão menos exagerados que nos anos 1980. Mas a celebração da juventude de "Girls, Girls, Girls" ainda está lá, firme e forte.

Jorge Rosenberg, especial para o iG
O baixista Nikki Sixx
No caso específico do Mötley Crüe, não há como ser diferente: eles passaram a carreira inteira cantando sobre sexo e drogas e ainda fazem isso muito bem. Mas não deixa de ser estranho ver um sexagenário (o guitarrista Mick Mars completou 60 anos no início do mês) no palco enquanto o vocalista Vince Neill canta coisas como "Smokin' in the Boys Room".

Mas o público não estava preocupado com esses detalhes. Talvez porque, na plateia, também não faltaram senhoras e senhores se comportando como se tivessem pelo menos vinte anos a menos.

O repertório do show foi escolhido sob medida para os fãs mais nostálgicos: apenas uma faixa do trabalho mais recente da banda, "Saints of Los Angeles". De resto, muitos sucessos dos anos 1980: "Wild Side", "Shout at the Devil", "Same ol' Situation (S.O.S.)", "Dr. Feelgood", "Girls, Girls, Girls" e, para fechar, "Looks that Kill".

A favor do Mötley Crüe, deve-se dizer que eles interpretaram essas músicas com total sinceridade. Quando agiam como se o tempo não tivesse passado, pareciam acreditar nisso de verdade. Sorte deles.

Veja abaixo o repertório do show:

01. "Wild Side"
02. "Saints of Los Angeles"
03. "Live Wire"
04. "Shout at the Devil"
05. "Same ol' Situation (S.O.S.)
06. "Primal Scream"
07. "Home Sweet Home"
08. "Don't Go Away Mad (Just Go Away)"
09. "Dr. Feelgood"
10. "Too Young to Fall in Love"
11. "Ten Seconds to Love"
12. "Smokin' in the Boys Room"
13. "Girls, Girls, Girls"
14. "Kickstart My Heart"

Bis

15. "Looks That Kill"

    Leia tudo sobre: Mötley Crüe

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG