homicídio , diz autópsia - Música - iG" /

Morte de Jackson foi homicídio , diz autópsia

Exame confirmou que o artista morreu por uma intoxicação aguda do anestésico Propofol

Redação com agências |

A autópsia feita no cantor Michael Jackson confirmou que o artista morreu por uma intoxicação aguda do anestésico Propofol, em circunstâncias qualificadas de "homicídio", revelaram hoje as autoridades norte-americanas.

As informações foram divulgadas pelo Instituto Médico Legal de Los Angeles. Os peritos chegaram a esta conclusão depois dos resultados dos exames toxicológicos constantes da autópsia realizada no corpo do cantor após sua morte, aos 50 anos, no dia 25 de junho. Jackson foi vítima de parada cardíaca na mansão em que vivia, em Beverly Hills.

De acordo com o comunicado do IML, uma "intoxicação aguda por propofol" teria causado o colapso do "Rei do Pop", que estava acompanhado na hora da morte por seu médico pessoal, Conrad Murray.A autópsia também encontrou no organismo de Jackson o sedativo Midazolam, Valium, lidocaína e o emagrecedor efedrina.

Tudo indica que os resultados devem dar início a um investigação de assassinato contra o dr. Murray, acusado de ministrar uma dose fatal de propofol para que o astro pudesse combater uma crise de insônia.

    Leia tudo sobre: michael jacksonmichael jackson morte

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG