Morrissey justifica comparação de massacre na Noruega a fast food

"Você não pode ignorar o sofrimento de um animal simplesmente porque animais 'não são a gente'", afirmou

iG São Paulo |

Getty Images
Morrissey
O cantor Morrissey, que recentemente provocou polêmica ao dizer durante um show que a morte de 97 pessoas em ataques terroristas na Noruega "não era nada" comparada ao número de animais mortos por redes de fast food, divulgou um comunicado em que explica a sua posição.

"Se você se sentiu, com razão, horrorizado pelas mortes na Noruega, então é natural que você sinta horror diante da morte de qualquer ser inocente. Você não pode ignorar o sofrimento de um animal simplesmente porque animais 'não são a gente'", afirma o texto.

"Milhões de seres são rotineiramente assassinados todo dia para dar lucro a McDonald's e KFC, mas como esses assassinatos são protegidos por leis, espera-se que nós nos sintamos indiferentes em relação a essas mortes, e nós nem ousamos questioná-las", continua.

Morrissey é conhecido por seu ativismo vegetarianismo. Um dos discos de sua antiga banda, The Smiths, chama-se "Meat Is Murder" ("Carne é Assassinato"). Em 2009, ele abandonou sua apresentação no festival de Coachella, na Califórnia, depois de sentir o cheiro de churrascos.

    Leia tudo sobre: Morrissey

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG