Morre o argentino Sandro, pioneiro do rock latino

Cantor, um dos primeiros a fazer rock em espanhol, havia feito transplante de coração e pulmões

EFE |

O cantor argentino Sandro, ídolo na América Latina e considerado um dos pioneiros do rock em língua espanhola, morreu nesta segunda-feira aos 64 anos em uma clínica da província de Mendoza, na Argentina, depois de ter passado em novembro por um transplante de coração e pulmões.

Vítima de uma doença respiratória crônica derivada do consumo excessivo de tabaco, Sandro recebeu os novos órgãos em 20 de novembro. Hoje, ele passou por duas cirurgias em um intervalo de poucas horas devido a uma nova complicação bronquial, que agravou seu já delicado estado de saúde.

Antes, Roberto Sánchez, o nome de batismo do artista, tinha sido operado pela última vez em 22 de dezembro por causa de uma lesão na traquéia.

Autor de inúmeros sucessos em espanhol desde a década de 60 ¿ entre eles "Tengo", que ganhou uma bem sucedida versão em português, "Tenho", na voz de Sidney Magal ¿, Sandro recebeu o duplo transplante como última solução para uma doença respiratória crônica provocada por sua dependência ao tabaco que o mantinha prostrado há meses.

EFE

Fãs prestam homenagem a Sandro, primeiro artista latino a lotar o Madison Square Garden

O cantor tem no currículo pelo menos 50 músicas de sucesso em toda a América Latina e participou de 12 filmes.

Muito popular entre o público feminino dos países latino-americanos de língua espanhola, Sandro foi o primeiro artista da região a lotar o Madison Square Garden, em Nova York, feito conquistado em 1970.

No final dos anos 90, a gravidade de um enfisema pulmonar originado por causa do consumo de tabaco fez com que sua fervorosa legião de fãs trocasse as flores, os poemas e as calcinhas jogadas no palco em cada show por correntes de oração por sua recuperação.

Em 2001, Sandro chegou a precisar de um respirador durante um show e em 2005 se submeteu a uma delicada operação da qual conseguiu se recuperar. Apesar disso, desde então, foram muitas suas entradas e saídas de hospitais.

O Hospital Italiano de Mendoza, no oeste da Argentina, onde Sandro estava internado, tinha se transformado nas últimas semanas em uma espécie de santuário dos fãs do cantor. Sua entrada virou um altar com centenas de cartas de apoio e de flores levados por admiradores.

Sandro era casado desde 2001 com Olga Garaventa. Antes, ele foi casado com Maria Elena Fresta durante 15 anos.

    Leia tudo sobre: música

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG