Michael Jackson se converteria ao Islã, diz irmão

Acredito que o islamismo o teria ajudado muito, afirma Jermaine Jackson

EFE |

Jermaine Jackson, um dos irmãos de Michael Jackson, disse que o "rei do pop" esteve "muito perto de se converter ao islamismo, algo que, afirmou, "o teria ajudado muito", informou hoje o jornal "Los Angeles Times".

Jermaine fez as declarações em entrevista exibida na madrugada passada pela rede de televisão "Al Arabiya", com base nos Emirados Árabes Unidos.

O irmão de Michael, ex-integrante do grupo Jackson 5 e muçulmano, contou que a aproximação à religião ocorreu em um período em que o astro viveu no Barein. "Seu comportamento mostrava que ele estava perto de se converter", disse Jermaine, que usava um lenço palestino vermelho.

Segundo Jermaine, o cantor de "Thriller" gostava de escutar a chamada à oração e lia os livros sobre o islamismo. "Senti que Michael estava buscando esse sentimento divino. Levei livros da Arábia Saudita e do Barein, de muitas mesquitas, e ele leu todos. Estava estudando, estava pronto para fazer essa viagem. Sua proteção teria sido o islamismo, ele teve uma vida muito dura", comentou Jermaine.

Apesar de Michael Jackson nunca ter reconhecido abertamente seu interesse em tornar-se um muçulmano, seu irmão declarou que "talvez" tenha feito esse comunicado "à própria alma".

"Acredito que o islamismo o teria ajudado muito. Se tivesse feito sua conversão, ele certamente teria aliviado o peso dos problemas que o perturbaram pela vida toda", disse Jermaine, quem aderiu à religião em uma viagem no fim dos 80 ao Golfo Pérsico.

Michael Jackson morreu em 25 de junho de 2009, vítima de uma intoxicação aguda de remédios, especialmente Propofol.

    Leia tudo sobre: jermaine jacksonmichael jackson

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG