Michael Jackson quer suspender leilão

Jackson considera que a casa de leilões não pode vender esses artigos sem sua permissão

EFE |

O cantor Michael Jackson apresentou um processo contra a casa de leilões Julien's Auctions com o objetivo de suspender a venda de aproximadamente dois mil artigos pessoais que seriam negociados a partir de 21 de abril, informou hoje a imprensa americana.

A empresa de Jackson, MJJ Productions, apresentou uma ação na quarta-feira na Corte Superior de Los Angeles (Califórnia) contra a Julien's Auctions, que espera faturar cerca de US$ 3 milhões no leilão.

"A conduta dos acusados foi maliciosa, fraudulenta, extrema, vergonhosa e sem nenhuma justificativa legal em absoluto", sustenta o texto do processo.

A Julien's pretende leiloar, num período de cinco dias, aproximadamente dois mil artigos de propriedade do cantor, desde as portas da entrada do rancho de Neverland até suas luvas brancas.

Jackson considera que a casa de leilões não pode vender esses artigos sem sua permissão, mas a decisão do cantor pegou de surpresa Darren Julien, presidente da entidade.

"Estivemos atendendo aos pedidos de Michael Jackson durante os últimos oito meses", disse Julien.

"Se é verdade que há artigos que não quer que vendamos, por que nos os deu? Somos uma casa de leilões, isso é o que fazemos. Não somos uma companhia de mudanças nem um armazém", acrescentou Julien, que indicou que continuará com o leilão.

    Leia tudo sobre: michael jackson

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG